segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Estado terá R$ 41 milhões para VLT

Adriano Abreu/TN
Na solenidade de entrega de um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que ocorreu na manhã da última sexta-feira (18) em Natal, na Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o ministro das Cidades, Bruno Araújo, anunciou a autorização de R$ 6 milhões para elaboração do projeto executivo para construção de uma linha férrea de Extremoz até o aeroporto Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante.  Na ocasião, o ministro também anunciou a liberação de  R$ 35 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para construção de duas novas estações, em 2017 e recuperação de 14 km de via férrea. A máquina entregue ontem foi orçada em R$ 10 milhões.

As medidas fazem parte do projeto de modernização do sistema ferroviário da Região Metropolitana de Natal. A proposta é de que as estações sejam construídas no bairro de Soledade, e outra próxima ao Norte Shopping, em Potengi, todos na zona Norte da capital.  “Combinamos que quando os estudos para construção da linha até o aeroporto estiverem prontos, deputados e senadores do RN vão ajudar a viabilizar recursos para a obra, são boas notícias para o sistema de transporte ferroviário na Região Metropolitana de Natal”, disse o ministro Bruno Araújo, que pediu ao superintendente da CTBU em Natal,  Leonardo Gurgel, que identifique de onde podem ser remanejados recursos para os investimentos.

O governador Robinson Faria, que fez o pedido para aprovação do projeto executivo para ampliação da linha até o aeroporto, comemorou a aprovação. Segundo Robinson, a obra vai proporcionar o fortalecimento do turismo e do projeto de construção de um parque industrial em São Gonçalo do Amarante. “É um projeto importante, que vai possibilitar mais melhorias no transporte férreo da Região Metropolitana”, disse o governador.

O diretor nacional da CBTU, José Marques, destacou que cada VLT transporta 600 passageiros por viagem, e que o objetivo é ter 10 VLTs em Natal com a reforma da malha ferroviária.   A previsão da CBTU é de que no primeiro semestre de 2017, 14 km da linha seja recuperada. No total, existem 56 km de trilhos “Não adianta comprar VLT, sem reformar a malha. Com isso, o tempo de viagem deve diminuir 60%”, disse o diretor, que não estipulou qual seria o prazo para a entrega dos próximos equipamentos.

O diretor nacional da CBTU, José Marques destacou que no primeiro trimestre de 2017 será anunciada a licitação para a construção das duas estações e recuperação das vias. “O projeto demora de seis meses a um ano para ser executado, se conseguirmos fazer isso no ano que vem e os recursos forem conquistados, em 2018 a obra pode começar”, disse José Marques.

A proposta que contempla a implantação de uma linha férrea de 17 km que interligará o aeroporto  ao sistema atual de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), foi anunciado pela CBTU em junho de 2015.  Atualmente, o transporte no sistema férreo de Natal é feito por duas locomotivas e três VLTs, com o recebimento da quarta VLT na manhã de ontem, 85% das viagens serão feitas em  Veículo Leve sobre Trilhos.

Em 2015, o governo Federal deixou de repassar R$ 73 milhões para a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) com finalidade de recuperar a linha férreaexistente na Grande Natal. Outro problema enfrentado é a empresa fornecedora dos VLTs que entrou em recuperação judicial por conta de dificuldades financeiras.  Originados do PAC Mobilidade, os R$ 73 milhões que o governo federal não liberou serviriam para melhorar 7,8 quilômetros de linhas férrea com a troca de dormentes e trilhos e reforma das estações da linha Norte.

A Região Metropolitana teria 7 linhas para o transporte sobre trilhos até 2023. Para isso, haveria inicialmente um investimento de R$ 311 milhões na adaptação da infraestrutura urbana, atualmente a previsão é de R$ 270 milhões. O projeto  deve ser executado em quatro etapas., mas até agora não começou. O megaprojeto da CBTU foi apresentado em dezembro de 2013. “A rubrica de R$ 270 milhões não é garantia que vamos ter o recursos, alocamos no plano plurianual esse valor, a medida que formos tendo recursos, vamos cumprindo”, destacou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário