terça-feira, 18 de julho de 2017

Cadeirantes protestam por acessibilidade no centro de Maceió

Um grupo de cadeirantes bloqueou o acesso à Rua do Comércio na manhã da última quinta-feira (13), em protesto contra a falta de acessibilidade no Centro de Maceió (AL). Durante o ato público, eles cobraram a construção de rampas e a adequação de vias para pessoas com deficiência.


"Nos prometeram adequar o Centro em 120 dias, mas se passaram mais de 200 dias e nada foi feito. A lei tem que ser cumprida e nós estamos esperando", explica André Dionísio, presidente da Associação dos Cadeirantes de Maceió, que encabeçou a manifestação.

De acordo com Dionísio, existem iniciativas isoladas para a construção de rampas, mas as estruturas não estão dentro dos padrões: "Estão fazendo rampas, mas elas estão irregulares. Essa é a nossa luta. Temos que buscar melhorias e, por isso, estamos protestando aqui", completou.

Com a manifestação, houve congestionamento e desvio de ônibus naquela área. "A equipe de gerenciamento de crises da Polícia Militar conhece a associação e acompanha a luta deles. Estamos fazendo os contatos, porque eles reivindicam a presença de representantes da Prefeitura e da Aliança Comercial", explicou a tenente Dayana.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável comunicou que a adequação das vias do Centro de Maceió está sendo viabilizada para este ano. 

Confira a nota da Semds na íntegra:
"Responsável pelas demandas de acessibilidade em áreas públicas, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Semds) informa que a adequação das vias no Centro e em outros locais está sendo viabilizada para este ano, seguindo uma lista de espaços já identificados. O serviço estava programado para o primeiro semestre, mas, em decorrência das fortes chuvas, a Prefeitura priorizou obras emergenciais de recuperação da cidade. Sobre o protesto realizado, a Semds informa que uma reunião ficou agendada para a próxima segunda-feira (17) com os representantes da associação de cadeirantes de Maceió".

Via Mobilize

Nenhum comentário:

Postar um comentário