segunda-feira, 10 de julho de 2017

Mesmo com liminar proibindo, Buser tenta fazer viagem, mas é impedida pela polícia

Seguindo determinação judicial, o DER-MG – Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais e a Polícia Militar do Estado impediram a viagem inaugural do Buser, uma empresa que terá um aplicativo que funcionará com conceitos semelhantes ao Uber, para ligar passageiros a empresas de fretamento e fazer as mesmas rotas que os ônibus de linhas regulares.

O aplicativo não foi lançado e a intermediação se deu apenas pela internet, por meio do site da empresa e da página no Facebook.

Mesmo com determinação judicial, o grupo tentou partir nesta sexta-feira, 07 de julho de 2017, por volta das 19h30 de Belo Horizonte, com destino a Ipatinga, mas foi proibido de sair.

A determinação da 23ª Vara Cível da Comarca de Belo Horizonte atende a pedido de tutela de urgência elaborado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros no Estado de Minas Gerais.

Pelo trajeto, seriam cobrados R$ 29,90 por sentido.

Outra viagem inaugural, entre BH e Viçosa, não teve demanda e foi cancelada pelo Buser antes mesmo da determinação judicial.

Em vídeo tornado público na página do Facebook do Buser, representantes da empresa lamentaram e acusaram a polícia de abuso.




A justiça acatou argumento das empresas de ônibus de que não há fiscalização sobre os serviços de transportes.


Desde esta sexta-feira, no início da tarde, quando confirmou a proibição judicial, o Diário do Transporte tenta ouvir os representantes da Buser.

A reportagem mandou uma mensagem com a cópia de decisão pela página da Buser no Facebook pedindo posicionamento.

A mensagem foi visualizada, mas sem resposta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário