terça-feira, 25 de julho de 2017

Mulher é mais cuidadosa no trânsito

Pesquisa realizada pelo Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre mostra que as mulheres permanecem mais cuidadosas no trânsito. Do total de acidentes, 44% são causados por mulheres, enquanto 56% são causados por homens. Em relação à idade, ao contrário do que popularmente se pensa, os jovens não são responsáveis pela maior parte dos acidentes.


Do total, 26% das colisões são causadas por pessoas entre 27 e 36 anos, seguidas por pessoas de 37 a 46 anos, que correspondem a 19% do índice. Dos motoristas mais jovens, entre 18 e 26 anos, as ocorrências correspondem a 16% do total. Os idosos são os últimos da lista: condutores acima de 67 anos são responsáveis por apenas 7% de todos os acidentes de trânsito, enquanto aqueles de 57 a 67 anos são causadores de 15% das colisões.

De acordo com o Inspetor Cabral, da Polícia Rodoviária Federal, constatou-se uma redução de 8% no número de acidentes graves nas rodovias federais da região metropolitana de Natal em relação ao mesmo período de 2016. Além da redução do número de acidentes graves, houve queda de 14,5% no número de feridos e de 20,5% no número de mortes. Cabral explicou que o maior número de acidentes está registrado entre Natal e Parnamirim, considerando o trecho que vai do Arena das Dunas (km 94) até ao IFRN de Parnamirim (km 109, 9). Nesse percurso de 16 km foram registrados no 1° semestre deste ano 102 acidentes, que tiveram 22 feridos graves, 75 feridos leves e cinco mortos.

A velocidade é o grande fator que difere a gravidade dos acidentes que costumam ocorrer nas rodovias federais e nas avenidas localizadas no centro da cidade. Geralmente, com um grande fluxo de carros em velocidade reduzida, sinais de trânsito e reguladores de velocidade, os acidentes que ocorrem no centro da cidade, especialmente nos horários de pico, costumam ser mais “leves” - são apenas pequenas colisões que geram engarrafamento e não costumam gerar vítimas fatais. Nas estradas, no entanto, à medida em que o limite de velocidade aumenta, os danos e consequências costumam ser maiores, como destacou Vicente Rêgo, coordenador do setor de estatísticas da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU).

“O maior índice de acidentes graves está em locais onde a velocidade costuma ser maior, porque isso aumenta o impacto das batidas e pode gerar vítimas fatais. Na cidade, as colisões são mais leves até porque os carros costumam andar em menor velocidade, graças aos reguladores de velocidade e ao próprio número de carros, que impede que se vá muito rápido. A avenida Senador Salgado Filho, por exemplo, é um lugar onde se espera muitos acidentes, mas o fluxo de carros é tão grande que ela não está nem no top 5 de avenidas com o maior número de acidentes na cidade”, explicou.

Prevenção

Questionados sobre que ações o poder público estava tomando para reduzir o número de acidentes nas vias onde eles mais acontecem, a STTU afirmou que uma medida que está sendo adotada pela Prefeitura é a sincronização dos semáforos, que tem dado resultado principalmente nas avenidas de grande movimento, como a Senador Salgado Filho. Nessa via. o número de acidentes teria reduzido, principalmente, nos horários de pico, após a adoção da medida. Estabelecer limites de velocidade nas vias urbanas também é um recurso utilizado para reduzir a gravidade e o número de acidentes.

Além disso, campanhas de conscientização estão sendo adotadas pelos órgãos públicos, como é o caso do DETRAN, que lançou em junho deste ano a campanha #CurtoDirigirBem. Além de outdoors espalhados pela cidade com a mensagem “Qual é a diferença do que você pensa para o que você faz no trânsito?”. Em uma área privada de um shopping da cidade, carros destruídos por acidentes foram expostos a fim de tentar passar uma mensagem impactante à população. Óculos simuladores de embriaguez para alertar sobre os perigos do consumo de álcool ao dirigir foram colocados no shopping, e pessoas puderam experimentá-los para ter ideia da sensação. De acordo com o Detran, “a campanha #CurtoDirigirBem vem justamente com essa proposta, mostrar aos condutores que suas prática cotidianas resultam num trânsito mais seguro para todos”.

Cenário dos acidentes

Confira as 10 vias onde mais ocorrem acidentes em Natal

Av. Engenheiro Roberto Freire
Próximo ao Nordestão e a Rota do Sol, com concentração nas faixas de pedestres
e semáforos.
359 (6,05%)

Av. Dr. João Medeiros Filho
Trecho de Igapó até o Carrefour.
343 (5,78%)

Av. Prudente de Morais
Não há um local concentrado. Os acidentes ocorrem entre os maiores
cruzamentos.
330 (5,56%)

BR -101 Sul
Entre o viaduto do 4º Centenário e a entrada de Cidade Satélite.
202 (3,40%)

Av. Bernardo Vieira
Entre o Midway e o viaduto da Urbana.
174 (2,93%)

Av. Capitão Mor Gouveia
Entre a rua São José e a av. Rio Grande do Sul.
148 (2,49%)

Rua Jaguarari
Entre a rua Miguel Castro e a Alexandrino de Alencar.
140 (2,36%)

Av. Senador Salgado Filho
Entre a av. Bernardo Vieira, próximo ao Midway, e a av. Amintas Barros.
132 (2,22)

BR-101 Norte
Entre a ponte de Igapó e o conjunto Parque dos Coqueiros.
121 (2,04%)

Av. Cel. Estevam
Entre a av. Presidente Bandeira e a av. Capitão Mor Gouveia.
118 (1,99%)

Números*

Horário:
76% das batidas em Natal ocorrem em horário comercial, sendo:
42% no turno vespertino
34% durante a manhã
34% durante a noite
4% durante a madrugada

Gênero:
44% das batidas são causadas por mulheres
56% das batidas sã causadas por homens

Idade:
26% por pessoas entre 27 e 36 anos
19% por pessoas entre 37 e 46 anos
16% por pessoas entre 18 e 26 anos
16% por pessoas entre 47 e 56 anos
15% por pessoas entre 57 e 67 anos
7% por condutores acima de 67 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário