domingo, 30 de julho de 2017

Segunda-feira: o dia com mais acidentes

Ao passo em que os acidentes fatais têm deixado muitos mortos nas rodovias do Rio Grande do Norte, em Natal, são os pequenos acidentes que predominam no cotidiano da população. Esses acidentes, geralmente sem vítimas fatais, passam da casa dos 2 mil nos seis primeiros meses de 2017. Ao todo, foram 2.067 acidentes, registrados em 10 ruas e avenidas municipais, estaduais e federais. Os acidentes ocorrem, principalmente, durante a tarde, entre as 12h e as 18h. Os motivos são os mais diversos: sono, falta de atenção, semáforos quebrados e, um novo fator que tem contribuído para aumentar o perigo tanto para motoristas quanto para pedestres: o uso do celular ao atravessar ruas e dirigir.

Ilustração

Segundo Vicente Rêgo, coordenador do setor de estatísticas da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), o sono ainda é um dos fatores principais que causam os acidentes. “Várias pesquisas já apontaram que o sono é responsável por uma parte considerável dos acidentes de trânsito. Muitos acham que isso só ocorre a noite, mas a tarde, principalmente após o almoço, quando o corpo ainda está fazendo a digestão, ele também acaba causando desatenção e muitos acidentes”, explicou o coordenador.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Academia Brasileira de Neurologia (ABN), a sonolência é responsável por 20% de todos os acidentes de trânsito. Das 495 pessoas entrevistadas pela ABN, 40% afirmam que já ziguezaguearam na estrada ou na via por causa do sono. Além disso, 61% dos entrevistados afirmaram que costumam dirigir no dia seguinte a uma péssima noite de sono e 39% disseram conhecer alguém que já havia sofrido um acidente de trânsito pelo mesmo motivo.

Um relatório elaborado pelo Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, a respeito dos dados de acidentes de 2016, aponta que 42% das batidas de Natal ocorrem no turno vespertino, e 34% na parte da manhã. Ao contrário do que se costuma pensar, apenas 4% dos acidentes da capital potiguar ocorrem durante a madrugada. “A noite, o consumo de álcool é um dos grandes causadores de acidentes, mas a verdade é que muita pessoas redobram a atenção ao dirigir a noite, e acabam se descuidando durante a parte do dia, quando geralmente estão mais apressadas para chegar ao trabalho, ou algum outro compromisso”, disse Vicente. Em Natal, as principais ruas onde ocorrem acidentes são av. Engenheiro Roberto Freire, na zona Sul, onde ocorreram 359 (6,05%), a av. João Medeiros Filho, na zona Norte, onde ocorreram 343 acidentes (5,78%) e a av. Prudente de Morais, que corta grande parte da cidade e onde ocorreram 330 acidentes (5,56%).

A segunda-feira, de acordo com os dados da STTU, é o dia com a maior quantidade de acidentes: são 998 acidentes registrados no primeiro dia útil da semana. A segunda-feira é seguida pela quarta-feira, com 950 acidentes registrados. Depois, vem a sexta-feira, com 943 acidentes. Os dados englobam não apenas o ano de 2017, mas também o anterior.

Apesar de polêmica, a questão do uso do celular tem sido um grande causador dos acidentes de trânsito, como destacou vicente. “É difícil precisar uma estatística a respeito de quantas pessoas bateram o carro graças ao uso do celular, porque as pessoas não costumam admitir, já que isso por si só constitui uma infração. No entanto, nós temos consciência de que ao parar no semáforo, muita gente tira o celular e vai checar WhatsApp, Facebook... Isso vale não apenas para os motoristas, mas para os pedestres, que atravessam as ruas enquanto usam o celular, muitas vezes sequer olhando se o sinal está fechado ou aberto. Já tivemos inclusive registro de óbito graças a isso, de uma pessoa que não prestou atenção ao atravessar porque estava ao celular e foi atropelada”, contou o coordenador do setor de Estatística.

Nenhum comentário:

Postar um comentário