quinta-feira, 24 de agosto de 2017

ANTT autoriza e agora Expresso Brasileiro é oficialmente da Águia Branca

A ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres deu autorização oficial para que a Viação Águia Branca, do Espírito Santo, assuma o controle societário da Expresso Brasileiro Viação Limitada, de São Paulo. É uma das maiores transações do mercado rodoviário neste ano.


A Águia Branca não divulgou valores oficiais da compra.

Conforme já havia publicado o Diário do Transporte em 19 de abril, o CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica já tinha dado anuência para a compra. Faltava apenas o parecer da ANTT, que foi publicado no Diário Oficial da União de ontem, na resolução ANTT 5406, de 17 de agosto.


Com a compra, o Grupo da Águia Branca, que inclui empresas como a Viação Salutaris, passa a deter a linha rodoviária interestadual de maior demanda no país, a Rio-São Paulo que hoje também é operada pela Expresso Brasileiro.

O mercado nesta ligação é ainda bastante concentrado. Além da Expresso Brasileiro, operam a Viação Itapemirm/Kaissara e o Grupo JCA, que detém a Auto Viação 1001 e a Expresso do Sul na ligação.

Mesmo com a forte concorrência do mercado aéreo, a linha Rio-São Paulo consegue atualmente atender por ano uma média de 1,5 milhão de passageiros.

A Expresso Brasileiro, que possui a rota São Paulo-ABC ao Rio de Janeiro pertencia desde 2011 ao Grupo Santa Cruz. A  ligação entre Rio de Janeiro e São Paulo é a mais rentável do país, apesar do crescimento do setor aérea nos últimos anos.

Até 2011, a ligação pela Expresso Brasileiro entre São Paulo e Rio de Janeiro era da família de Lauro Romano.

Em 2009, as linhas e frota da Expresso Brasileiro que faziam a ligação entre a cidade de São Paulo, ABC Paulista, região Metropolitana e municípios do Litoral de São Paulo e parte do interior do Estado foram adquiridas pelo Grupo JCA e são operadas por uma das empresas deste grupo, a Viação Cometa. Lauro Romano continuou com a linha Rio – São Paulo até 2011.

A Expresso Brasileiro foi criada em outubro de 1941 pelo espanhol Manoel Diegues para ligar São Paulo e Santos. Na década seguinte, começou a fazer o trecho Rio-São Paulo e teve sua trajetória marcada pela forte concorrência com a Viação Cometa no trajeto nos anos de 1950, época em que ambas importaram ônibus dos Estados Unidos.

Diário do Transporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário