sábado, 5 de agosto de 2017

Os modelos de ônibus da carroceria Jotave que fizeram história

A J. V. Indústria e Comércio de Carrocerias e Ônibus Ltda., de João Vicentin Neto,  iniciou suas operações como reformadora de ônibus, em 1979, em Ribeirão Preto (SP). Dez anos depois, em 1989, entrou no ramo de fabricação de carrocerias, decidindo conquistar o mercado pelos modelos mais complexos – os veículos para transporte rodoviário. Em fevereiro de 1991, quando metade da capacidade de suas instalações (quatro unidades mensais) já estava ocupada pela nova atividade, a empresa lançou uma família completa de modelos, Jotave I, II e III (respectivamente 3,20, 3,40 e 3,60 m de altura), com estrutura construída em aço galvanizado e janelas com perfis de alumínio pintados de preto. 

Cada carro foi apresentado sobre mecânica diferente: Mercedes-Benz O-362 e O-355 e (o modelo III) Scania 110. A empresa não procurou esconder suas fontes de inspiração, tal a identidade das carrocerias com o best-seller Marcopolo Viaggio. Aos três modelos logo veio se agregar uma versão curta para turismo, com 9 m de comprimento, com o nome Baby Bus.


Ainda em 1991, por demanda de uma operadora de ônibus local, a Jotave desenvolveu sua primeira carroceria urbana, para uma plataforma O-362 com motor traseiro. Este modelo, porém, não seria colocado em linha, mas sim outro, para chassis com motor dianteiro, lançado em maio do ano seguinte. Chamado City, suas linhas quadradas e simples não podem deixar de lembrar o Marcopolo Torino.


O estilo dos rodoviários e do Baby foi alterado em 1993, dando-lhes um pouco de personalidade própria; dianteira e traseira foram redesenhadas e as versões com motor dianteiro ganharam grade com formato trapezoidal invertido; também o nome foi mudado: Stilus. A grade foi mais uma vez alterada no ano seguinte, aumentando de área e se tornando menos discreta e mais convencional do que a do modelo 93. Ainda em 1993 a empresa apresentou seu primeiro high-deck, o Primus, mais uma vez copiando um modelo Marcopolo. Com 13,20 m de comprimento e 3,80 de altura, montado sobre plataforma Volvo B12 com 3º eixo adaptado, o ônibus tinha cama para o motorista, dois aparelhos de TV, geladeira e cafeteira elétrica.


Em 1995 o Primus foi substituído pelo Mirage, sem sofrer maiores mudanças de estilo. Com ele foi apresentada a nova versão do urbano City, trazendo a primeira revisão estética, na frente e traseira, desde o seu lançamento. Também em 1995 foi lançado o primeiro (e único) micro da marca, denominado Freeway. Estas seriam as últimas criações da Jotave. Poucos meses depois, já no ano seguinte, com cerca de 500 unidades fabricadas, a empresa encerraria as atividades como encarroçadora.

Lexicar

Nenhum comentário:

Postar um comentário