sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Primeiros biarticulados de Curitiba vão para o desmanche

Alguns dos primeiros ônibus biarticulados de Curitiba, lançados em 19 de dezembro de 1992, estão sendo encaminhados para desmanche. Dos 33 veículos que integravam a primeira frota, pelo menos três já foram desmanchados este ano, segundo o busólogo - estudioso de ônibus - Francisco José Becker. Já para a primeira unidade de todas, o carro ED001, a empresa São José, responsável pelos ônibus, estuda a possibilidade de preservação. O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) não confirma os números.

Francisco José Becker

Adquiridas pela Auto Viação Nossa Senhora do Carmo, as primeiras unidades do famoso busão tinham a cor prateada. Foi somente em 1995 que todos os carros foram pintados de vermelho, relembra Becker , que desde 1987 acompanha a história do transporte público curitibano . “Eles eram prateados para seguir o padrão dos Ligeirinhos, que já existiam naquela época. Mas decidiram mudar para vermelho para melhorar a visibilidade, quando perceberam que os biarticulados acabavam se camuflando na neblina e na paisagem urbana”, conta o estudioso.

A operação dos veículos, que eram montados pela Volvo em Curitiba, teve início na linha Boqueirão, e contava com canaletas exclusivas da Praça Carlos Gomes, no Centro, até o Terminal do Carmo. Conforme Becker, quando os biarticulados começaram a rodar houve uma grande mudança na rotina da cidade, porque os veículos anteriores, articulados, com apenas uma divisória, comportavam no máximo 120 passageiros. Os carros com duas articulações, enquanto isso, passaram a levar 280 pessoas.

Entre as características mais memoráveis dos primórdios dos biarticulados, o estudioso destaca a campainha que tocava quando as portas das estações tubo eram abertas: “Era uma sineta inconfundível, que hoje já foi extinta. Mas quem pegou o início dos biarticulados deve se lembrar”.

Símbolo da cidade até hoje, o modelo, que começou a rodar durante o último mandato do prefeito Jaime Lerner (1989-1992), foi responsável por alavancar Curitiba como ícone no sistema de transporte público mundial. De lá para cá, 25 anos e dezenas de modelos diferentes depois, o sistema é chamado de Bus Rapid Transit (BRT), e serviu de inspiração para o transporte de cidades como Bogotá, Cidade do México e Rio de Janeiro.

Preservação

Justamente por toda a importância dos biarticulados para Curitiba, Becker defende a preservação do primeiro exemplar. “O ED001 podia ser transformado em um espaço de visitação, assim como se tornou o bondinho da Rua XV de Novembro. Seria muito triste se ele acabasse tendo a maioria das peças derretidas, que é o que aconteceu com os outros exemplares desmanchados”, propõe.

A Viação São José, antiga Nossa Senhora do Carmo e atual proprietária dos primeiros biarticulados, afirma que estuda a possibilidade de preservação da primeira unidade. Atualmente, o biarticulado número 1 se encontra no pátio da empresa, no bairro Hauer. Não há, porém, nenhum plano concreto para isso ainda.

Gazeta do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário