domingo, 27 de agosto de 2017

Transporte hidroviário: precariedade e mortes no Pará e na Bahia

Na última quarta-feira à noite, dia 23, uma embarcação naufragou com cerca de 70 pessoas a bordo em Porto de Moz, no Pará. Na quinta, dia 24, no começo da manhã, um barco naufragou com 129 pessoas na Bahia, causando a morte, até as 11;45, de 22 passageiros.

Divulgação

Enquanto em Salvador o resgate avançou pela manhã da quinta-feira, as buscas por desaparecidos no naufrágio da embarcação “Capitão Ribeiro”, no Pará, foram retomadas na quinta-feira pelo Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil do Estado e a Secretaria de Estado de Segurança Pública. Na embarcação que viajava de Santarém a Vitória do Xingu, no Pará, já estão confirmados dez mortos, seis mulheres, dois homens e duas crianças. Dentre passageiros e tripulantes, 48 pessoas estavam a bordo.

Em Salvador já são cinco os mortos no acidente envolvendo uma lancha próximo à ilha de Mar Grande, em Vera Cruz. A lancha rápida que fazia a travessia comercial Mar Grande – Salvador virou por volta das 6h30. O acidente ocorreu próximo à ilha, a 200 metros do Terminal marítimo.

Segundo informou ao jornal “A Tarde” o presidente da Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab), Jacinto Chagas, cerca de 130 pessoas estariam embarcadas. A lancha teria capacidade para 170 passageiros.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), e o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), manifestaram pesar nas redes sociais:


Diário do Transporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário