sexta-feira, 6 de outubro de 2017

A presença da Comil na Trampolim da Vitória

Prestes a receber seu mais novo lote de veículos, fabricados pela Comil, não é de hoje a presença de carrocerias da marca na Trampolim da Vitória. Desde meados dos anos 2000, a empresa operadora de linhas na região metropolitana de Natal é cliente da encarroçadora gaúcha. Confira o histórico da Comil na empresa.


Em meados dos anos 2000, a Trampolim da Vitória fez sua primeira compra com a Comil. Foram adquiridos micros das carrocerias Bello e Piá, com chassis Mercedes-Benz e Volkswagen. Os ônibus tinham ar-condicionado, e permaneceram na frota da empresa ao longo da década de 2000. O último dos veículos saiu da frota no final de 2007. Ao longo dos anos, deixou de operar com o ar ligado.

 

Ainda no início da década de 2000, a empresa adquiriu os primeiros ônibus de grande porte com a Comil. Em 2002, a empresa comprou unidades do Svelto NS, com chassis Volkswagen 17-210 OD. Os veículos permaneceram na frota da Trampolim até 2010. Tanto os micros adquiridos em 2000, quanto os primeiros Sveltos NS exibiam a pintura recém-lançada pela empresa: os ônibus tinham a logomarca "Trampolim 2020 – Transporte de futuro", fazendo referência à antiga pintura da empresa. 

 

Um destes Sveltos foi reformado e permanece na frota da empresa até hoje, destinado ao treinamento de motoristas. Ele manteve o contexto da pintura utilizada pela Trampolim até 2010.

 

A Trampolim também comprou, nesta época, uma unidade do Svelto 2000 usada da Paraíba. O ônibus tinha chassi Volkswagen 16-210 OD, foi o primeiro veículo urbano de grande porte com ar-condicionado, e recebeu o prefixo 230. O ônibus também permaneceu na frota da Trampolim até 2010. Ao longo dos anos, recebeu diversas propagandas anexadas por toda sua carroceria.


Em 2006, foi a vez de parte dos micros da própria Comil serem substituídos por veículos da montadora, quando a Trampolim comprou, novamente, o Svelto NS, também com chassis Volkswagen. Desta vez, a escolha do chassi foi para o 15-180 EOD. Em 2007, a empresa novamente comprou o Svelto, com configuração bem parecida aos de 2006, com destaque para a última pintura em tom azul utilizada pela empresa até 2010, e para os itinerário digitais laterais, acoplados à primeira janela do veículo, ao lado da porta dianteira. 

 

 

Os veículos estão na frota da empresa até hoje, tendo sido renumerados após a venda da empresa para grupos pernambucanos.


Por falar nos grupos pernambucanos, após a Trampolim ter sido vendida as empresas Itamaracá e a Cidade Alta, de Pernambuco, em 2009, a empresa também recebeu unidades do Svelto NS de lá. Unidades fabricadas em 2003, 2004 e 2005 fizeram (alguns ainda fazem) parte da frota empresa, com o intuito de retirar de circulação veículos mais antigos e diminuir a idade média de sua frota. Em Pernambuco, os ônibus pertenceram à empresa Cidade Alta.


 

 


A empresa também recebeu, de Pernambuco, unidades da Comil curtos e longos: Sveltos 2004 encarroçados em chasis Volkswagen 17-210 OD três eixos, e 2008, curtos, com chassis Volkswagen 15-190 EOD. Além deles, também recebeu unidades do Doppio, o Svelto articulado. Os ônibus têm chassis Volks 17-230 EOD, e semelhante aos curtos, também foram fabricados em 2008.

 


O Svelto 2008 foi também a primeira compra da Trampolim da Vitória com ônibus zero quilômetro após a venda para os grupos pernambucanos. 20 unidades do modelo, fabricados em 2011, montados em chassis Volkswagen 17-230 EOD V-Tronic, vieram para a empresa. Eles também foram os primeiros veículos de fábrica com a pintura predominantemente na cor branca, utilizada até hoje.


Agora, a Trampolim recebe mais uma remessa de veículos da Comil. 10 unidades do Svelto 2017 farão parte da empresa. Eles têm chassi Volkswagen 17-230 OD, e serão os primeiros Euro V da empresa.


Fotos: Acervo UNIBUS RN / Acervo Trampolim da Vitória / Comil Ônibus / João Paulo Nascimento / Danilo Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário