domingo, 15 de outubro de 2017

Podres, enferrujadas e queimadas: rodovias federais têm 180 pontes em situação caótica

Construída há mais de meio século, com 510 metros de comprimento, a ponte sobre o Rio Jequitinhonha, na BR-101, no Sul da Bahia, está em estado precário, com rachaduras na pista e muretas amarradas com arame (foto abaixo) e ondulações, mas terá que esperar por uma possível manutenção no próximo ano. Ela faz parte de uma lista de 180 pontes em mau estado de conservação que exigem uma intervenção imediata, mas aguardam por reforma há anos.

Foto: Lucio Vaz/Gazeta do Povo

A ponte do Jequitinhonha foi construída no ano de 1965. Os moradores ribeirinhos afirmam que houve uma reforma há cerca de dez anos. Mas, questionado sobre a manutenção da estrutura, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) afirma que, “no histórico disponível na base de dados, não constam informações sobre reformas executadas na ponte”. Sobre a pista de rolamento, é possível verificar que ela treme com a passagem de carretas com carga de até 50 toneladas, num tráfego intenso.

Com a ajuda de uma canoa, a reportagem registrou, por baixo da ponte, rachaduras na parte inferior da pista, aparentemente fechadas com argamassa, além de infiltrações e ferragens em mau estado. Ela recebeu nota 2 do Dnit numa escala de 1 (risco de desabamento) a 5 (ótimo estado).

Porto Seguro

Cerca de 120 quilômetros adiante, seis pequenas pontes na BR-367, entre Porto Seguro e Belmonte, também estão incluídas na lista do Dnit – todas com nota 2. Ali, a rodovia federal se transforma na Avenida Beira Mar, por onde circulam diariamente milhares de turistas em busca das praias paradisíacas da região.

A ponte que parece em estado mais avançado de decomposição é a do Rio Sabacuzinho, com 24 metros de extensão, próxima à praia Ponta Grande. A coluna lateral interna está bastante corroída, com ferragens expostas e bastante enferrujadas (veja abaixo). A água do mar entra por baixo da ponte, que fica colada na praia.

Na Avenida Beira Mar, em Barramares, a ponte sobre o Rio dos Mangues, com a mesma extensão, também está mal conservada. Há ainda as pontes sobre o Rio Curuípe e Rio da Vila, na mesma avenida, e mais duas próximas a Belmonte.

Pontes queimadas

A BR-367 passa por Eunápolis (BA) e segue para Minas Gerais, onde margeia o Rio Jequitinhonha. No município de Jacinto (MG), num trecho de terra, uma ponte de madeira de 72 metros de comprimento e 4,6 metros de largura, sobre o Rio Rubim, foi incluída na lista com nota 2. Sem muretas e de estrutura frágil, recebia caminhões de até 40 toneladas, embora fosse projetada para um máximo de oito toneladas, segundo informou a prefeitura local.

Há cerca de um ano, cansados de pedir a reforma ou substituição da estrutura por outra de concreto, moradores atearam fogo à ponte. Sobraram só os pilares de alvenaria.


Hoje, o tráfego é feito por uma estrutura provisória montada pelo Exército. Poucos quilômetros adiante, há restos de outra ponte de madeira, bem menor, também queimada por moradores.

Uma terceira ponte de madeira ainda resiste aos caminhões de carga e aos incendiários. Um pedaço de madeira solto ameaça a vida dos motoqueiros e o eixo dos carros mais baixos. No momento em que a reportagem passou pelo local, um motorista desceu do carro e arrancou com as mãos as madeiras soltas.

Já no Médio Jequitinhonha, no Km 348 da BR-367, a ponte de madeira de 36 metros sobre o Ribeirão das Gangorras, nas proximidades de Berilo, havia recebido nota 1 – quando a estrutura corre perigo de desabamento. O tabuleiro (pista) foi levado pelas águas há um ano e meio. No trecho de 60 quilômetros de estrada de terra entre Virgem da Lapa e Minas Novas (MG), há seis pontes de madeira, duas delas com nota 1.

Também na BR-101, nas proximidades de Recife, há mais duas pontes com nota 1, sobre os Rios Igarassu e Desterro. Aguardam pela reforma.

Uma longa espera

O Dnit tem a lista das pontes e viadutos em situação precária desde 2004. No governo Dilma Rousseff, chegou a ser lançado o Programa de Reabilitação de Obras de Arte Especiais (Proarte), com investimentos previstos de R$ 6 bilhões em oito anos. Mas o projeto foi barrado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) porque tinha falhas graves como critérios inconsistentes para a seleção das pontes, projeto básico inadequado e orçamento com preços acima do mercado.

O Proarte entrou em fase de reestruturação. Em junho de 2015, foi divulgada uma lista com 184 pontes com notas 1 e 2, mas quase nada foi feito até agora.

Questionado sobre as pontes visitadas pela reportagem nas BRs 101 e 367, o Dnit afirmou que “estão em fase de priorização e elaborações finais preparatórias para licitação as estruturas nos estados da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima e Bahia. O tipo de intervenção pelo qual a estrutura passará depende de uma análise em que são considerados, além da condição estrutural da obra de arte especial, os índices funcional, estratégico e operacional”.

O Dnit afirma que, durante a reestruturação do Proarte, passou a fazer intervenções de reabilitação nas pontes e viadutos de forma individualizada, por meio das superintendências regionais. Alguns exemplos são pontes na BR-135/MG e na BR-101 Nordeste.

Questionado sobre quando será reformada a ponte sobre o Rio Jequitinhonha, que está com graves rachaduras (veja abaixo), o Dnit afirmou que as intervenções nas pontes são executadas no Programa de Manutenção e Reabilitação de Estruturas. “Anualmente é feita uma análise para o planejamento das ações. São considerados, além da condição estrutural da ponte, parâmetros funcionais, estratégicos e operacionais do trecho onde a estrutura está inserida. A ponte sobre o rio Jequitinhonha será indicada para um dos lotes de manutenção a serem contratados no ano de 2018”.

Sobre as pontes próximas a Recife, disse que o “anteprojeto” para restauração e alargamento das duas obras de arte especiais foi aprovado e a obra nas duas pontes deverá ser licitada, pelo Proarte, em novembro. O custo da obra nas duas pontes é estimado em aproximadamente R$ 4,5 milhões.

O projeto de construção da ponte sobre o rio Rubim está em elaboração, com previsão para conclusão do projeto executivo em dezembro deste ano. Os materiais a serem empregados na estrutura e o respectivo custo serão definidos no projeto executivo. O contrato contempla mais duas pontes, nos kms 83,2 e 97.

O Dnit informou ainda que os projetos para a pavimentação do trecho de terra de 83 quilômetros na BR-367/MG, a partir da divisa com a Bahia, estão em andamento ou em fase interna de licitação. O projeto de pavimentação do trecho de terra entre Virgem da Lapa e Minas Novas também está em andamento. Mas obras dependerão da “disponibilidade de recursos”.

Gazeta do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário