quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Transportadora testa tecnologia de energia solar em carreta

Foto: Divulgação
Uma parceria entre a Transportadora Americana (TA) e a Sunew, empresa brasileira fabricante de filmes orgânicos fotovoltaicos (OPV, na sigla em inglês) está realizando desde agosto um projeto piloto de energia solar em implemento rodoviário cujo objetivo é promover autonomia elétrica à carreta, ao mesmo tempo em que economiza bateria e combustível. 

Trata-se de um filme orgânico fino, leve, flexível, com diferentes graus de transparência e que permite customização de cor e formato, capaz de absorver luz solar de forma difusa. No projeto piloto, o implemento foi adesivado por OPV, que ao captar luz solar, converte-a em energia por meio de um sistema eletrônico e a distribui para os compartimentos necessários, poupando a bateria do caminhão. O sistema pode abastecer sistemas como GPS, freios ABS, sistema de exaustão, entre outros que podem, inclusive, funcionar de forma autônoma.

“Diferentemente das estruturas convencionais, que precisam estar conectadas à bateria para garantir a operação, os modelos com a tecnologia do filme possibilitam ao motorista uma viagem mais segura, confortável e econômica”, comenta o gerente de novos negócios da Sunew, Filipe Ivo.

Para o diretor da Transportadora Americana, Celso Luchiari, a tecnologia é positiva ao apresentar custo baixo com relação ao benefício: “Uma de nossas operações exige carretas cofre, com fechadura eletrônica. Com essa tecnologia, a alimentação da energia acontece de forma independente ao cavalo, evitando contratempos, como o travamento das portas e perda de configuração do sistema. Ganhamos tempo e agilidade nos processos de transferência”, avalia. “Realmente é fácil imaginar um futuro próximo onde todos os nossos veículos possam ser sustentáveis e eficientes”, completa, indicando que pretende expandir o projeto para dezenas de veículos.

Segundo a Sunew, esta é a única tecnologia solar capaz de resistir às vibrações e torções que o semirreboque é submetido, uma vez que o filme orgânico é flexível, semelhante a borracha, de forma que permite se adequar à estrutura conforme movimentação.

Criada em 2015, a Sunew é 100% brasileira e é o resultado da união entre o CSEM Brasil, FIR Capital, BNDES, Tradener e CMU a fim de conceber infraestrutura para a produção de filmes fotovoltaicos orgânicos, conhecidos como OPV (organic photovoltaics). Conta com parcerias com FIEMG, FAPEMIG e o governo de Minas Gerais.

Portal Automotive Business

Nenhum comentário:

Postar um comentário