sábado, 11 de novembro de 2017

Trecho da BR-101 será interditado

O Departamento Nacional de Insfraestrutura de Transportes (Dnit), no Rio Grande do Norte, analisa a interditação, por cinco meses, a partir de 18 de novembro, de duas faixas da BR-101, no trecho que vai do Pórtico de Natal até o semáforo próximo à loja Leroy Merlin. A informação foi repassada a representantes da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), dirigentes do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (Seturn) e empresários. Por meio da assessoria de imprensa, o Dnit confirmou a interdição, mas disse que a data estava sendo discutida por técnicos do órgão.

Foto: Magnus Nascimento/Tribuna do Norte

De acordo com o Dnit, segundo informações da assessoria de imprensa, um informe sobre a interdição vai ser divulgado hoje (10), para a população. Ficou agendada uma nova reunião para a próxima terça-feira (14), às 14h, com os representantes de órgãos de trânsito e empresários da construtora que executa os serviços.

A interdição é necessária, de acordo com o Dnit, para cumprir o calendário de obras de melhorias que estão sendo realizadas na BR-101 de Natal. Esta nova etapa compreende a  construção do viaduto que vai interligar as avenidas Abel Cabral e Maria Lacerda Montenegro à rodovia federal, além da construção de uma passagem inferior. Motoristas de carros, ônibus, motos e bicicletas terão que disputar, durante o tempo de interdição, as curtas faixas localizadas nas marginais da BR-101. A reunião para debater o assunto ocorreu nesta quintafeira (09), às 10h, na sede da Superintendência do Dnit em Natal.

Apesar das melhorias a longo prazo que as obras podem proporcionar, os problemas pontuais incomodam o setor empresarial, motoristas e pedestres, que reclamam do cenário “caótico” gerado pelas obras. O representante do Seturn, Nilson Queiroga, alega que o cenário vai se tornar caótico, por causa do intenso fluxo de veículos que passam diariamente pelo local. Atualmente, nove linhas de ônibus levam e trazem todos os dias passageiros nesse trecho. São a 33, 37, 44, além de outras via “Maria Lacerda” e “Abel Cabral”.

Foto: Magnus Nascimento/Tribuna do Norte
Durante a reunião, o Seturn cobrou dos representantes do Dnit estudos de viabilidade econômica, além de questionar sobre audiências públicas prévias para debater os impactos que as obras poderiam causar. “As marginais vão ficar super congestionadas. A obra é muito necessária, mas não da maneira em que está sendo feita”, reclamou Queiroga.

As obras viárias fazem parte de um contexto maior de intervenções planejadas pelo Dnit ao longo de 14km – do viaduto de Ponta Negra até o IFRN-Parnamirim. Ao todo, serão construídos cinco viadutos e duas passagens inferiores, vias marginais (nos dois sentidos), cinco passarelas para travessia de pedestres e 52 abrigos em paradas de ônibus entre o viaduto de Ponta Negra e o IFRN-Parnamirim, transformando o trecho em via expressa. A previsão é que a velocidade média passe dos atuais 60km/h para 80 km/h, aumentando a capacidade de fluxo de 12 mil para 20 mil veículos por faixa.

A expectativa da superintendência regional do Dnit é de concluir todas as obras que, até o momento, têm 46% do total já concluído, até dezembro de 2018. Os recursos aplicados são do Governo Federal, e o investimento chega a R$ 157 milhões – além de outros R$ 20 milhões destinados para desapropriações. O Dnit já concluiu os viadutos de Neópolis e Emaús, e trabalha na construção da passagem inferior na Avenida Maria Lacerda. As construções irão facilitar o trânsito entre os bairros de Cidade Satélite e Nova Parnamirim.

Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário