sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Ranking UNIBUS RN: Com pouca renovação, frota da Grande Natal envelhece

A frota de ônibus de Natal e região metropolitana envelheceu no último ano. Levantamento realizado pelo Portal UNIBUS RN mostra que após a maior remessa já contabilizada em um único ano de ônibus remanejados de outras empresas (dos estados do Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco e Rio de Janeiro), com o incremento de cerca de 195 ônibus, trouxe veículos mais novos e modernos às ruas da grande Natal - embora a idade média geral tenha piorado, já que a maior parte destes ônibus vieram com sete ou mais anos de uso.

Cidade do Natal: Um dos vários ônibus usados que passaram a fazer parte da frota da grande Natal este ano

De acordo com o levantamento, houve poucas mudanças na posição das empresas diante dos dados. As renovações com os ônibus usados foi um fator determinante para os bons índices em pontos como 'acessibilidade' e 'tecnologia Euro V', adicionado à pesquisa neste ano dada a importância dos temas, mas ruim para temas como idade média (aumentou de 7,60 anos no ano passado para 7,76 anos neste ano) e quantidade de ônibus usados (de 407 para 471 ônibus, representando a metade de toda a frota da Grande Natal). Confira o ranking:


Pelo segundo ano consecutivo do ranking da frota levantado pelo Portal UNIBUS RN, a empresa Cidade do Natal apresentou os melhores índices. A empresa detém uma administração 100% local e continua ostentando a frota mais nova dentre as empresas da Grande Natal, apresentando as melhores médias em todas as categorias pesquisadas, exceto em percentual de ônibus adquiridos de fábrica, alcançando, inclusive, a inédita marca de 100% de acessibilidade integral em seus ônibus.

Mesmo com os remanejamentos, as empresas que envelheceram suas frotas no período de um ano foram: Guanabara, Reunidas, Conceição, Oceano, Via Sul (metropolitana) e Litorânea, haja visto que nenhuma delas adquiriu ônibus novos no referido período e as substituições de veículos mais antigos não foram suficientes para atenuar a depreciação anual de suas frotas. Um caso interessante foi a Cidade das Dunas que praticamente manteve a idade da frota com o incremento de três veículos zero quilômetro fabricados em 2015, mas também recebeu de sua co-irmã, Cidade do Natal, quatro veículos fabricados em 2008. Já a Santa Maria (metropolitana) e a Campos (com um sucinta diminuição) conseguiram manter suas idades médias da frota somente substituindo veículos mais velhos por usados um pouco mais novos.

Por outro lado, vale destacar as empresas que "rejuvenesceram" suas garagens com ônibus usados semi-novos e que diminuíram a idade média de suas frotas: Cidade do Natal, Via Sul (urbana) e Santa Maria (urbana). O destaque maior é para a Trampolim da Vitória que alcançou uma melhor média de idade adquirindo dez ônibus novos direto da fábrica. Curiosamente, a empresa Parnamirim Field alcançou uma leve melhora na idade da frota desativando ônibus mais antigos.

Cidade do Natal: empresa mantém o primeiro lugar

ACESSIBILIDADE

Levando em conta o critério da acessibilidade no transporte público, houve um grande progresso nos ônibus que circulam na Grande Natal. Atualmente, o percentual de veículos totalmente acessíveis chega a quase 65% da frota ativa, o que equivale a mais de 600 ônibus. Se considerarmos somente as linhas urbanas - que circulam apenas entre bairros da capital, esse quantitativo já passa dos 70%.


MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

Em outro importante quesito do transporte público que remete a uma melhor qualidade de vida da população com menores índices de poluição, a frota local apresentou neste ano a maior evolução entre todos os critérios analisados. Até o final do ano passado, a região metropolitana tinha apenas 2 veículos equipados com a norma Euro V, o que significava escassos 0,73% da referida frota. Com aquisição de 13 novos veículos pelas empresas operadoras das linhas intermunicipais metropolitana, a proporção atual atingiu 5,5% da frota ativa. Mas os maiores indicadores nesse critério foram alcançados pelas empresas de linhas urbanas de Natal. Até 2015, menos de 1% da frota natalense tinha o sistema inibidor de poluição Euro V, neste último levantamento o percentual chegou a significativos 14,2% ou 95 ônibus mais modernos, eficientes e menos poluentes.


IDADE MÉDIA NAS LINHAS URBANAS

Sem a renovação de veículos novos comprados de fábrica neste ano, a idade média da frota urbana natalense piorou, aumentando de 7,20 anos em 2016 para 7,44 neste ano. Em relação a 2011, o índice continua abaixo dos 7,51 anos de média constatado a seis anos atrás. 


A segunda melhor empresa de Natal, de acordo com os dados, é a Via Sul, que apresenta proporcionalmente a maior frota de ônibus adquiridos de fábrica. Após a Cidade do Natal, a empresa é a que melhor atende aos parâmetros pesquisados pelo Portal. Seguem a elas, as empresas Reunidas - que apresenta a maior frota de ônibus menos poluentes da cidade, e a Guanabara - com destaque positivo para os 86,5% da frota com acessibilidade integral, logo após aparecem Santa Maria e Conceição.


ViaSul e Reunidas: na cola da Cidade do Natal. Guanabara: destaque para os usados deste ano

A empresa Conceição, por sua vez, continua amargando os piores índices da frota urbana. No ano passado, a empresa também ficou com o último lugar no ranking dos dados da frota urbana, com destaque negativo para a ausência de ônibus com a tecnologia Euro V e agora com o ônibus mais velho de toda a frota da Grande Natal, o veículo 4402, fabricado em 2003 e que já está prestes a completar 15 anos de uso.

Conceição: piores índices

REGIÃO METROPOLITANA

A Grande Natal ganhou as duas únicas renovações com veículos zero quilômetro deste ano: da Cidade das Dunas e da Trampolim da Vitória. A 'Dunas' adquiriu três ônibus novos, no final de 2016, que só foram adicionados à frota no início de 2017. Já a Trampolim colocou nas ruas 10 novos ônibus neste final de ano. Na comparação com o ranking de 2016, um recorde que já era negativo, foi superado: o de ônibus usados. Nas empresas intermunicipais, 61.5% de coletivos são usados, ou 168 ônibus de um total de 273 veículos ativos.


A renovação da Cidade das Dunas garantiu que ela permanecesse em primeiro lugar no ranking da região metropolitana de Natal, seguida da Santa Maria. Por outro lado, a renovação da Trampolim permitiu que subisse uma posição no ranking, indo para o terceiro lugar, seguida da Via Sul (metropolitana), e Parnamirim Field. As empresas Oceano, Campos e Litorânea ocupam, respectivamente, os últimos lugares.


Dunas e Trampolim: as únicas renovações 0 km de 2017

QUANTIDADE DE USADOS

O fato da maior parte das empresas que compõem o sistema coletivo de ônibus da Grande Natal terem realizado suas últimas expressivas renovações com ônibus novos no ano de 2011, ainda influencia negativamente no resultado dos dados.

O quantitativo da frota adquirida usada pelas empresas locais ultrapassou a marca dos 400 veículos desde o ano passado. Atualmente esse o número já chega próximo de incríveis 500 ônibus, corresponde a 49,9% do total de veículos em circulação. Ou seja, o número de ônibus usados já é igual ao número de ônibus adquiridos zero quilômetro. Dois pontos determinantes para isso foram os fatos de apenas duas empresas terem adquirido veículos novos e um grande lote de ônibus usados com idade avançada terem substituídos ônibus mais velhos.

Oceano: alto número de ônibus usados
Seis empresas permanecem possuindo a frota usada maior que adquirida nova: Oceano com 89,6%, Litorânea com 87% de ônibus reutilizados, Santa Maria (metropolitana) com 76.9%, Parnamirim Field com 72,2%, Via Sul (metropolitana) tem 68.8%, e Campos, também com 68,8% - mas em menor posição na tabela, devido as outras avaliações. No ano passado, o primeiro lugar no quesito "quantidade de ônibus usados" era da empresa Litorânea, que foi ultrapassada pela Oceano em 2017.

O índice da empresa Santa Maria, única urbana que figura na lista por ter mais ônibus usados do que novos, aumentou de 70.8% de veículos usados no ano passado, para 73,6% este ano. A empresa conta com mais de 100 veículos vindos de outros estados e estima-se que somente no segundo semestre já foram incluídos cerca de 40 ônibus reaproveitados de outras empresas, com expectativa de mais unidades serem incorporadas até o final deste ano.

Santa Maria: primeiro lugar em usados

Assim, o número de usados também continuou a aumentar em 2017. De 42,9% da frota em 2016, hoje 49,9% da frota veio de outros estados. As renovações ocorridas em 2017 - especialmente da empresa Guanabara, maior do estado, que colocou em sua frota 56 ônibus vindos de Pernambuco - contribuíram com os números.


MENOS ÔNIBUS NAS RUAS

Assim como no ano passado, a quantidade de ônibus nas ruas continua a diminuir. De 2016 para 2017, a frota da grande Natal diminuiu de 949 para 943 ônibus. Levando em conta apenas a frota urbana que circula exclusivamente nos bairros da capital, a redução de frota passou de 35 em 2016 para 42 ônibus a menos neste ano, este índice já é quase 6% a menos de coletivos na frota ativa se comparado ao total que existia em 2011. Ataques criminosos que resultaram em incêndios foram os fatores determinantes para a retirada dos veículos nas ruas.


Equipe UNIBUS RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário