quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Vendas de ônibus usados caem, mas em ritmo menor que crescimento de vendas de novos

Enquanto as vendas de ônibus novos cresceram expressivos 57,71% em janeiro deste ano em comparação com janeiro de 2017, com 1.115 unidades comercializadas, o mercado de ônibus usados registrou queda, mas não na mesma proporção.

Em janeiro de 2018, a queda foi de 1,17% em comparação com janeiro de 2017, com 3.617 ônibus usados comercializados.

Os números, tanto de novos como de usados, são da Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos, que reúne concessionárias e revendas em todo o País.

Na comparação entre janeiro de 2018 e dezembro de 2017, as vendas de ônibus novos caíram 30,44% e as de ônibus usados tiveram queda de 14,51%

O maior volume de produção e vendas de ônibus novos esperado para este ano deve se refletir em alterações no mercado de usados.

Não necessariamente alta de novos significa queda de ônibus usados no mercado. Isso porque, na maior parte das vezes, os ônibus que já foram dispensados em determinados sistemas pelas empresas não vão para o ferro-velho diretamente, embora a prática seja mais comum no setor de ônibus do que de carros e caminhões.

Em geral, os ônibus usados podem ter os seguintes destinos:

– Serem repassados para sistemas urbanos de transportes menores e com menos exigências em relação às frotas. Isso pode ocorrer entre empresas diferentes ou entre companhias de um mesmo grupo empresarial que atua em várias regiões.

– Serem repassados para linhas rodoviárias de regiões cujas condições de tráfego são mais rigorosas.

– Serem repassados para fretamento.

– Serem adquiridos para transportes rurais, escolares ou dentro de empresas ou indústrias.

– São adquiridos por bandas, igrejas, poder público para fazer consultórios itinerantes e outros serviços.

– Viram ônibus de transporte clandestino

Em alguns países, como no México, de acordo com executivos de montadoras, praticamente não há mercado de alguns tipos de ônibus usados porque ao final da vida útil, os veículos são desmontados e destruídos.

O objetivo é que as empresas não “alimentem” o transporte clandestino que futuramente vai concorrer com elas mesmas.

MARCAS:

O ranking de ônibus usados comercializados em janeiro, de acordo com a Fenabrave, ficou da seguinte maneira:

1°) Mercedes-Benz: 56,43%

2º) Volkswagen: 17,39%

3°) Volare: 12,55%

4º) Scania: 5,11%

5º) Volvo: 2,71%

6º) Agrale: 2,57%

Outros: 3,24%

Diário do Transporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário