domingo, 11 de março de 2018

As recentes mudanças no sistema de transporte Opcional de Natal

O sistema de transporte opcional de Natal tem passado por constante mudanças nos últimos tempos. Atualmente definido como "sistema complementar ou suplementar", diversas linhas foram alteradas, garantindo melhor atendimento aos usuários. Apesar disso, a frota dos 'alternativos' ainda é um grande empecilho do sistema, com carros curtos e/ou quentes demais para a região, que afetam suas operações pelo pouco conforto que oferecem.

Linha 503-A agora liga o Planalto a Nova Descoberta

Duas cooperativas atuam em Natal. Uma oferece o sistema de bilhetagem eletrônica, o NatalCard, com integração restrita com as linhas de ônibus - a depender da linha. Outra, não oferta sistema de bilhetagem, nem qualquer possibilidade de integração com os ônibus de Natal. Não há regras para a operação das linhas - já que os permissionários podem se associar a qualquer uma das cooperativas. Comumente algumas linhas têm em suas frotas veículos de ambas as cooperativas. A diferenciação ocorre pelo padrão visual dos veículos.

Duas cooperativas de transporte opcional atuam em Natal

Entre as modificações mais recentes, pode-se constatar a reativação das linhas 402 (Ponta Negra/Alecrim/Deodoro) e 506 (Planalto/Alecrim/Deodoro). Ambas são operadas, atualmente, pela cooperativa que não oferece bilhetagem eletrônica.

 
Linhas 506 e 403 foram reativadas

Já entre as linhas da cooperativa que atua com a bilhetagem, houve mudança na linha 314 (Nordelândia / Igapó) - que unificou as linhas 314A e 314B, existentes até então. Já a 54A (Vila de Ponta Negra/Campus) foi alterada para 403 (Vila de Ponta Negra/Midway Mall). Além disso, a 503A (Planalto/Natal Shopping), teve o itinerário alterado para Planalto/Alecrim/Centro e posteriormente Planalto/Midway/Nova Descoberta. A modificação da linha 503A é a mais recente da capital potiguar, iniciada no último sábado (10), e permite que o transporte opcional atue como um sistema interbairros, ligando o Planalto a Nova Descoberta.


Linhas 403 e 314 também passaram por mudanças. 604 atende a Felipe Camarão

As linhas 314, 403 e 503 fazem parte de um contexto de transporte complementar das linhas urbanas, possibilitando integração restrita, via cartão eletrônico, com algumas linhas pré-definidas - nem sempre informadas aos usuários. Além delas, as linhas 600 (Parque dos Coqueiros/Norte Shopping) e 604 (Felipe Camarão/Av. Afonso Pena) também se inserem neste contexto. Elas foram as primeiras a utilizar o sistema de bilhetagem eletrônica municipal, em 2014, lançadas como suplementos à determinadas linhas das regiões onde atuam - com exceção da linha 600, que era operada pelas empresas de ônibus urbanos e foi repassada aos opcionais.


Ônibus urbanos foram substituídos por micros opcionais na linha 600

Também é possível encontrar opcionais operando linhas urbanas. Eles estão presentes na frota das linhas 38 (Planalto/Praia do Meio, via Alecrim), e da 40 (Planalto/Mãe Luiza, via Alecrim). As linhas são operadas pelas empresas Santa Maria e Cidade do Natal, respectivamente, e os opcionais presentes nos trajetos são considerados um complemento da frota das empresas.

Linha 40 também opera com opcionais

Com a parceria firmada para que uma das cooperativas pudesse utilizar o sistema de bilhetagem eletrônica efetivamente em suas linhas desde 2015, as demais linhas do transporte opcional atuam em trajetos parecidos com os dos ônibus, ligando os bairros a grandes centros, modificando em parte os itinerários. Apesar de aceitar a bilhetagem eletrônica, os usuários não realizam integração com outras linhas, e a operação pelos micro-ônibus oferece pouco conforto. Grande parte dos carros são curtos - alguns deles com apenas uma porta para embarque e desembarque - e/ou usados de estados como São Paulo, onde o sistema municipal determina que a janela inferior do veículo seja inteiriça, impedindo sua abertura (na verdade, a janela é substituída por uma 'vigia' já na fabricação do veículo) e consequentemente aumentando o calor do veículo. Para a atuação dos veículos em Natal, a alta temperatura afeta a operação dos veículos, gerando imenso calor nos ônibus.

Ônibus e opcional de Natal

No caso da cooperativa que não aceita a bilhetagem eletrônica, os problemas de operação e falta de conforto nos ônibus são os mesmos, com o agravante de receber apenas passagens em dinheiro.

Opcional circula com adesivo da linha 77

Apesar das modificações positivas implementadas no sistema de transporte opcional, uma linha foi desativada recentemente. A 607 (Bairro Nordeste/Alecrim/Centro) não opera mais. O único veículo que ainda circulava no trajeto foi direcionado para a linha 304 - Parque dos Coqueiros/Mirassol.

'Micrões' nos opcionais rodoviários

O sistema complementar rodoviário já aceita veículos do tipo "micrão" - modelos de ônibus maiores que os micro-ônibus e menores que os ônibus comuns, com chassis intermediários. Pelo menos quatro ônibus dos modelos Idealle e Spectrum já circulam nas linhas que ligam Natal ao interior do Rio Grande do Norte.


Novidade: Micrões, até com motor traseiro, na frota de opcionais intermunicipais do RN

De acordo com informações obtidas pelo Portal UNIBUS RN, os micrões circulam com autorização do órgão gestor estadual de transporte, o Departamento de Estradas e Rodagens (DER/RN). A autorização contrasta com um conflito ocorrido em meados de 2010, quando permissionários do sistema intermunicipal metropolitano adquiriram dois micrões para a operação da linha PN (Parnamirim/Ponta Negra). A linha é dos trechos de maior demanda na grande Natal, e conta com apenas quatro veículos (dois dos opcionais, dois da empresa Trampolim da Vitória).

Para suprir a demanda do trecho e melhor atender aos usuários, os opcionais substituíram os dois micros da linha por ônibus do modelo Svelto Midi, montados em chassis Volkswagen 15-190 EOD. Os permissionários utilizaram o argumento de que os micrões continham 25 lugares - o que os caracterizava como alternativos, e o fato de o ônibus ter maior porte, serviria para melhor acomodar os usuários. O caso foi judicializado, e os opcionais foram impedidos de circular com os veículos. Os micrões foram vendidos e substituídos por micros novamente.

Opcional metropolitano tentou colocar micrão na linha PN.

Não há confirmação se a permissão para que os opcionais operem com micrões, autorizada pelo DER/RN, também vale para a operação metropolitana (chamados de áreas Especial 1 e 2 - "E1" e "E2").

Breve histórico do sistema opcional

Os alternativos surgiram na segunda metade dos anos de 1990. Em Natal, Kombis e vans circulavam nas mesmas linhas dos ônibus, gerando imensos conflitos. Entre o final dos anos 90 e início dos anos 2000, o sistema municipal foi organizado, definidas linhas, trajetos e operações. Os operadores cadastraram seus carros junto aos órgãos municipais e passaram a operar linhas.

 

Disputa de vans com ônibus se intensificou na segunda metade dos anos 1990

Os opcionais atuavam em trajetos semelhante aos dos ônibus (na ligação bairros-centros comerciais), com itinerários diferentes, para não inviabilizar as linhas de ônibus e tentar que de alguma maneira as vans operassem como um sistema complementar de transporte. Inicialmente, os opcionais permaneceram com vans, mas aos poucos substituíram os veículos por micro-ônibus.

 

Frota de opcionais de Natal

A partir de 2007, com o advento da bilhetagem eletrônica organizada pelas empresas de ônibus, os opcionais perderam espaço, já que os cartões não eram aceitos nos transportes alternativos. Diversos permissionários entregaram as linhas pela inviabilidade de mantê-las operando. Inúmeros protestos foram realizados em Natal pelos opcionais na tentativa de terem o direito de utilizar a bilhetagem eletrônica. Mas a unificação do sistema só aconteceu a partir de 2014, em linhas específicas. Ainda hoje, duas cooperativas atuam em Natal, e apenas uma delas aceita a bilhetagem eletrônica.

Duas cooperativas de transporte opcional atuam em Natal

Nos anos de 1990, também era comum a presença de vans operando linhas entre Natal e cidades do interior do RN. O Governo do Estado, assim como em Natal, buscou organizar o sistema. Para tanto, licitou as linhas para os 'vanzeiros' em um sistema segmentado por números e cores, de acordo com as regiões do estado a partir da região metropolitana - esta recebeu o nome de "área especial" (E1, 1, E2, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8).

Matéria aborda chegada dos micros nos opcionais. Arquivo - UNIBUS RN

O transporte opcional intermunicipal foi o primeiro a substituir as vans por micro-ônibus, ainda no começo dos anos 2000.

Frota intermunicipal de opcionais atende a todas as regiões do RN

Colaboração: Helckton Fernandes.
UNIBUS RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário