domingo, 18 de março de 2018

Ônibus incendiado, um crime que não para de crescer

Localidades como Anchieta, Costa Barros e Cidade Alta foram as que mais registraram casos de ônibus incendiados, nos últimos dois anos, na cidade do Rio. Desde 2016, foram registrados 74 ataques criminosos, sendo que 63% ocorreram em vias da Zona Norte. 

Foto: Paulo Schmidt/Arquivo pessoal - Ilustração


O último registro aconteceu na madrugada de terça-feira, quando um ônibus da linha Olaria-Candelária foi queimado no trecho entre as avenidas dos Democráticos e Dom Helder Câmara, perto da localidade de Manguinhos. 

Quem acompanhou o caso ficou impressionado com a insegurança. Após o incêndio, não se viu um policial próximo ao local onde o ônibus foi destruído. Uma unidade do Corpo de Bombeiros foi afastada a tiros e, por precaução, permaneceu em frente à delegacia de Bonsucesso. 

O ônibus só pôde ser recolhido pela manhã. Neste ano, já são 19 ônibus incendiados em todo o Estado do Rio, e 152 desde 2016. 

A inexistência de seguro para esse tipo de sinistro, o aumento gradativo da quantidade de casos e a crise econômica tornam cada vez mais inviável a reposição dos veículos incendiados.

POR ANCELMO GOIS
O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário