sexta-feira, 6 de abril de 2018

O que acontece quando um serviço chinês de bike compartilhada acaba?

A China é o país mais populoso do mundo e a bicicleta é um meio de locomoção viável em muitas cidades de lá. Por isso, várias delas foram inundadas por diversos serviços de compartilhamento de bikes, o que acabou saturando o mercado e levando à derrocada de alguns grandes nomes do setor.

Foto: EPA/ Wu Hong

O Bluegogo já chegou a ser o terceiro maior serviço do gênero a operar na China, mas perdeu clientes e dinheiro a ponto de encarar o inevitável fim. O serviço não foi encerrado, mas vendido para a Didi, a mesma companhia chinesa de compartilhamento de caronas que adquiriu recentemente o 99.

Foto: EPA/ Wu Hong
A Didi já possui um serviço de compartilhamento de bicicleta, mas, enquanto não decide o que fazer com as magrelas compradas junto com a Bluegogo, toda a frota da empresa está espalhada em um estacionamento. São quase 70 mil unidades e a visão registrada pelas fotografias aéreas de Wu Hong, da European Pressphoto Agency (EPA), é impressionante. 

Segundo o site Quartz, a intenção da Didi é disponibilizar ao público novamente boa parte das bicicletas que um dia foram da Bluegogo. Contudo, do jeito que as coisas estão, vai ser preciso muita graxa e manutenção para fazer tudo voltar a funcionar de forma plena com esse exército de bikes abandonadas.

Mobilize

Nenhum comentário:

Postar um comentário