quinta-feira, 5 de abril de 2018

SEST SENAT: Novos motoristas para o mercado de trabalho

Foto: Arquivo CNT
Atento às transformações que têm modificado a realidade das empresas do setor de transporte, o SEST SENAT vai qualificar, gratuitamente, cobradores do transporte coletivo urbano de passageiros para atuarem como motoristas profissionais. O projeto Qualificação Profissional para Cobrador no Transporte Coletivo de Passageiros prevê a mudança da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) da categoria B para a D e a oferta de curso de capacitação necessário para o exercício da profissão de motorista (exigência prevista na resolução nº 168/2004 do Conselho Nacional de Trânsito) e de aperfeiçoamento com prática de direção nos simuladores híbridos disponíveis nas unidades operacionais do SEST SENAT. 

A fase-piloto, lançada em março, disponibiliza 1.500 vagas em cinco unidades operacionais: Curitiba, Belo Horizonte (Jardim Vitória), Fortaleza, Rio de Janeiro (Deodoro) e São Paulo (Vila Jaguara). 

O presidente da CNT e dos Conselhos Nacionais do SEST e do SENAT, Clésio Andrade, destaca que a iniciativa vai ao encontro das necessidades das empresas do setor. “O transporte está mudando. As novas tecnologias estão chegando e o SEST SENAT acompanha as transformações, preparando esses profissionais para o futuro. O projeto visa suprir uma demanda do mercado por profissionais qualificados para a profissão de motorista, além de ser uma alternativa de crescimento profissional para os cobradores”, afirma ele.

Levantamento da NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos) mostra que, em 2016, 85% dos municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes já utilizavam a tecnologia da bilhetagem eletrônica, retirando os cobradores dos veículos. O sistema garante mais segurança aos coletivos, evitando assaltos, além de reduzir os custos das empresas. 

“Oferecer essa oportunidade para os cobradores era uma antiga reivindicação do setor e traz um impacto muito grande para as empresas. Estamos criando um grande estoque de profissionais do volante, já que hoje temos uma carência dessa mão de obra qualificada e há a substituição dos cobradores por equipamentos eletrônicos”, ressalta Eudo Laranjeiras, presidente da seção do Transporte Rodoviário de Passageiros da CNT e presidente da Fetronor (Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste).

Na visão dele, a utilização da bilhetagem eletrônica e a consequente retirada dos cobradores dos coletivos pode impactar não só a questão da segurança, mas também a redução das passagens cobradas dos usuários, uma vez que a manutenção desses profissionais tem peso de 15% na composição das tarifas. “Com esse projeto, o SEST SENAT contribui para a economia, garantindo empregabilidade para os cobradores, redução de custos para as empresas e economia para os usuários.”

De acordo com Lessandro Zem, diretor da Expresso Azul Metropolitana, que opera em Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR), a iniciativa do SEST SENAT em possibilitar a transformação de cobradores em motoristas é essencial para as empresas, tendo em vista que hoje a grande mobilidade tecnológica do setor acarreta novas necessidades operacionais para a profissão e exige uma maior expertise dos profissionais. Zem ainda ressalta que a gratuidade do projeto permitirá uma economia para as empresas, além do ganho de qualidade que os treinamentos oferecem. “A necessidade dessa qualificação é urgente devido a nossa demanda. Já tivemos que custear a troca de CNH para que nossos antigos cobradores se tornassem motoristas e suprissem a carência por essa mão de obra. Agora, com o projeto, teremos essa lacuna preenchida e de forma gratuita”, destaca ele.

Quem já vivenciou essa realidade também ressalta a importância da iniciativa. “Quando comecei a trabalhar como cobrador, eu não tinha nem carteira de habilitação. Agora, já faz seis anos que eu sou motorista, e isso eu devo à oportunidade que tive de fazer os cursos no SEST SENAT. Eu entrei na empresa trabalhando como cobrador, mas sempre com a cabeça fixa em virar motorista. E igual ao meu caso, existem vários”, conta Leandro Santos, da Expresso Azul.

A carioca Elina Pereira começou como cobradora, em 2001, na empresa União de Duque de Caxias (RJ) e já conseguiu realizar o sonho de ser motorista profissional. “A possibilidade de trocar a CNH de forma gratuita é ótima. Os cobradores, mesmo querendo ser motoristas, às vezes, não têm condição de custear essa mudança de categoria. Conheço vários que, assim como eu, também vislumbram virar motoristas. O projeto do SEST SENAT é maravilhoso e irá ajudar esses trabalhadores.” 

As vagas para o curso de cobradores estão nos editais públicos disponibilizados no site do SEST SENAT. Os interessados terão até o dia 16 de maio para fazerem a inscrição on-line (clique aqui para saber mais). Para se candidatar, é necessário comprovar vínculo empregatício como cobrador de ônibus, possuir CPF, e encaixar-se nas regras do Contran quanto aos requisitos de tempo para a mudança de categoria da CNH. Além disso, a regularidade do cadastro da empresa junto ao SEST SENAT é fundamental. A empresa onde o candidato trabalha deve ter como atividade econômica principal o transporte e deve atuar no transporte coletivo urbano de passageiros.

Treinamento

Além de suprir uma demanda do setor de transporte, o projeto do SEST SENAT permite que o mercado tenha acesso a profissionais altamente qualificados e atualizados com as novidades tecnológicas.

No curso Especializado para Condutores de Veículos de Transporte Coletivo de Passageiros, com carga horária de 50 horas, serão trabalhados temas, como legislação de trânsito, direção defensiva, noções de primeiros socorros, respeito ao meio ambiente, convívio social no trânsito e relacionamento interpessoal.

O curso Aperfeiçoamento de Motoristas para o Transporte de Passageiros tem carga horária de 22 horas, sendo 8 horas e 15 minutos de aulas teóricas e 13 horas e 45 minutos de prática realizada nos simuladores híbridos disponíveis nas unidades operacionais do SEST SENAT. No treinamento prático, os alunos poderão vivenciar situações reais das vias urbanas do país, com simulação de corredores de BRT, dos estacionamentos, dos pontos de embarque e desembarque, de condições climáticas (chuva, neblina) e de infraestrutura. “A iniciativa do SEST SENAT irá sanar não só a necessidade atual do setor, mas também formar profissionais já conectados com as novidades em termos de tecnologia e legislação. Isso é essencial para o transporte urbano e para toda a cadeia econômica que o cerca. Teremos motoristas profissionais formados sem nenhum ‘vício’”, afirma Fernanda Sales, gerente de recursos humanos da Auto Viação Alpha, do Rio de Janeiro (RJ).

Agência CNT de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário