sexta-feira, 6 de abril de 2018

Venda de veículos cresce 15% no 1º trimestre

O mercado brasileiro de veículos novos terminou o primeiro trimestre deste ano com o maior número de vendas para o período desde 2015. Foram 545,5 mil unidades emplacadas, crescimento de 15,6% em relação a igual intervalo do ano passado, mostra balanço da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Ilustração

Com o resultado, a Fenabrave decidiu revisar sua previsão para o desempenho do mercado no ano todo. A projeção, que antes era de expansão de 11,8%, passou para avanço de 15,2%.

Só em março, as vendas tiveram alta de 9,6% em relação a igual mês do ano passado. Trata-se do 11º mês seguido de expansão do mercado em comparações com o mesmo mês do ano anterior. No total, foram vendidas 207,3 mil unidades, o maior volume para março desde 2015.

Na média diária, o crescimento das vendas é ainda mais expressivo, uma vez que março deste ano contou com dois dias úteis a menos. O ritmo de emplacamentos por dia chegou a 9,8 mil unidades, alta de 20,1% em relação à média de março do ano passado. Em relação a fevereiro, as vendas cresceram 32,2%. Na média diária, o avanço é de 19,6%.

Segmentos. Entre os segmentos, a venda dos chamados veículos leves, que somam os automóveis e os comerciais leves e representam mais de 90% do mercado total, atingiu 200,1 mil unidades, expansão de 8,8% na comparação anual e de 31,9% em relação a fevereiro. No acumulado do ano, o avanço é de 14,6%, para 527,3 mil unidades.

No caso dos pesados, os caminhões somaram 5,9 mil emplacamentos em março, com alta de 44,8% sobre o volume de março de 2017 e de 45,3% em comparação com o de fevereiro. O ano acumula a venda de 14,6 mil unidades, com aumento de 51,6%.

Os ônibus somaram 1,3 mil unidades vendidas em março, avanço de 11,9% ante março de 2017 e de 17,9% sobre o resultado de fevereiro. No primeiro trimestre, os emplacamentos somam 3,5 mil unidades, crescimento de 40% em relação a igual período do ano passado.

O Estado de SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário