terça-feira, 22 de maio de 2018

Construção do viaduto da Redinha está 60% concluída

Foto: Alex Regis/Tribuna do Norte
A meta 1 do Pró-Transporte, projeto que busca melhorar a mobilidade urbana na zona norte da capital potiguar está com 60% das obras concluídas e tem 100% das desapropriações necessárias para o andamento do projeto feitas. Essa meta é referente a construção do viaduto da Redinha, que liga a rua Conselheiro Tristão até a avenida Moema Tinoco e a viabilização do viaduto pelo Rio Doce, que vai chegar à entrada de Genipabu. Em números absolutos, 165 imóveis foram afetados apenas na meta 1, e de acordo com o diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagens (DER) – órgão responsável pela obra – general Jorge Fraxe, as desapropriações foram pagas e falta apenas uma ser demolida para a liberação do terreno.

Ao todo, juntando as três metas, o órgão precisará remover 393 imóveis e até o momento, juntando as três metas, 242 já foram demolidos e liberados. Até o momento, de acordo com Fraxe, R$ 16 milhões foram gastos nessas desapropriações, num valor que pode aumentar até a conclusão do Pró- Transporte como um todo, que ainda não tem data de entrega.

“O viaduto está 100% feito, estamos lançando a grama, está faltando muito pouco para gente inaugurar o viaduto. Vai ficar faltando algumas drenagens e o asfalto da Conselheiro Tristão com a Moema Tinoco até chegar a entrada  de Genipabu”, disse o diretor, ressaltando ainda que estão por fazer os remanejamentos da rede elétrica, fato que não havia sido pensado na concepção do projeto. “Você tem que construir uma rede nova para desligar a antiga”, acrescentou o diretor.

O que vem atrapalhando o prosseguimento das atividades são as chuvas, de acordo com Fraxe. “É incompatível a chuva com a terraplanagem, com a base. Choveu muito e no outro dia faz sol, não significa que pode trabalhar, porque está tudo encharcado. Tem que levar três, quatro dias de sol para que o ótimo grau de umidade seja atingido” disse o diretor, que preferiu não indicar datas para a conclusão da primeira fase do projeto, uma vez que as incertezas climáticas acabam por atrasar o cronograma. 

O Pró-Transporte foi idealizado em 2005 pela Prefeitura do Natal com o intuito de duplicar vias, construir viadutos, passarelas e ciclofaixas na maior zona administrativa e mais populosa da capital potiguar. O projeto foi repassado ao Governo do Estado em 2011, para a Secretaria de Infraestrutura. Após seis anos, a obra passou a ficar a cargo do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) que deverá entregar o complexo. Orçada inicialmente em R$ 72,8 milhões, a obra hoje tem previsão de gastos em R$ 88 milhões. Desde a sua concepção, apenas o viaduto da avenida das Fronteiras foi entregue de maneira concluída, em 2011.

Obras previstas
Meta 1
O que será feito: Viaduto da Redinha, que liga a rua Conselheiro Tristão até a avenida Moema Tinoco e a viabilização do viaduto pelo Rio Doce, que vai chegar à entrada de Genipabu.
Desapropriações: 165 imóveis afetados
Demolidos/liberados: 164 imóveis.

Meta 2
O que será feito: Parte da avenida Tocantínea para dar acesso à avenida Moema Tinoco, até o acesso de Genipabu.
Afetados: 133
Demolidos/liberados: 72

Meta 3
O que será feito: Duplicação da avenida das Fronteiras e o prolongamento da avenida Moema Tinoco
Afetados: 95
Demolidos/liberados: 6

Total de desapropriações necessárias: 393
Total de desapropriações liberadas até o momento: 242
Valor gasto com desapropriações até o momento: R$ 16 milhões

Fonte: DER

Iluminação do acesso sul deve sair até junho

Com 99% das obras concluídas e já entregue para uso dos motoristas, o acesso sul ao Aeroporto Internacional Aluizio Alves, em São Gonçalo do Amarante, que tem 19 quilômetros,  aguarda apenas pequenos detalhes para sua conclusão. De acordo com o diretor geral do DER,  Jorge Fraxe, o único ponto que falta para a entrega completa do acesso é no tocante à iluminação. De acordo com ele, a confecção dos postes e bases que iluminarão a pista já estão em andamento pela empresa contratada e as expectativas do diretor é de que até o mês de junho os postes já estejam instalados e em pleno funcionamento.

Ainda segundo Jorge Fraxe, o acesso sul ao Aeroporto Internacional Aluízio Alves vai ganhar um viaduto estaiado em breve em cima da Reta Tabajara, na BR-304. A ideia é proporcionar uma opção aos condutores que vêm das regiões central potiguar e oeste potiguar. Nesse caso, os motoristas poderão pegar o viaduto em direção ao aeroporto, distante há 12 quilômetros. A construção desse empreendimento será justamente em cima da rodovia federal, e de acordo com Fraxe, não vai atrapalhar o fluxo de trânsito no acesso recém-inaugurado.

“Isso aí não prejudica a entrada e saída para o aeroporto. Nós já colocamos semáforos que foi para disciplinar essa utilização”, disse Fraxe, ressaltando que, por se tratar de uma via federal, a obra precisa do aval do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit). Quanto ao desenho traçado do viaduto, o Dnit já concordou, revelou o diretor, no entanto, o que fica em análise será o cálculo estrutural do projeto, que irá analisar todas as questões de segurança para dar continuidade ao empreendimento.

O contrato com a EIT – Empresa Industrial Técnica S.A foi prorrogado por mais um ano para a construção do viaduto. A autorização para construção do acesso Sul ocorreu em 2013, mas a obra começou efetivamente há um ano. O viaduto sobre a BR-304, deverá custar em torno de R$ 9 milhões, com suas alças e acessos.

Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário