domingo, 6 de maio de 2018

Negociação entre empresas e rodoviários não avança

A primeira rodada de negociação, realizada nesta quinta-feira (3), entre os empresários do transporte e os trabalhadores rodoviários para discutir o reajuste salarial da categoria, não teve avanços. Isso, porque de acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município (Seturn) a única alternativa para modificar o posicionamento de "reajuste zero" é a concessão por parte da Prefeitura do Natal de um aumento na isenção fiscal ou na tarifa de transporte.


Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores e Transportadores Rodoviários do RN (Sintro), Harley Davidson, a falta de propostas do Seturn é um "jogo político" que a categoria não está interessada em participar. "Os empresários sempre falam do aumento da passagem e que não tiveram isso ainda. Querem travar as negociações, mas não estamos interessados nesse jogo, queremos apenas o nosso reajuste garantido", afirma. O diretor também garantiu que, até o momento, não está prevista nenhuma paralisação nos serviços.

Os trabalhadores rodoviários, motoristas e cobradores, reivindicam inicialmente um reajuste salarial de 5% acima da inflação. A segunda rodada de negociação acontecerá na segunda-feira (7), às 9h30, na Superintendência Regional do Trabalho, onde os empresários e a categoria devem buscar definir a questão salarial. "A categoria reivindica reajuste de 5% acima da inflação, e diante disso propomos diminuir 2%. Tudo é um contrapeso para temperar a discussão", afirmou o consultor técnico do Seturn, Nilson Queiroga.

De forma paralela, o Seturn conta com uma definição da questão tarifária para respaldar a negociação. "Esperamos que o pior não venha acontecer que é o colapso do sistema: as empresas quebradas, com dificuldade para oferecer o que os trabalhadores têm direito caso não haja essa definição da tarifa que queremos que aconteça o mais breve possível", declarou.

Para o Seturn, o reajuste na tarifa do transporte público de Natal deveria ser de 19,40%, o que faria o valor saltar de R$ 3,35 para R$ 4,00. O pedido foi protocolado na última quinta-feira (26) na Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). Até o início do mês, a secretaria aguardava a definição do reajustedo salário-base dos trabalhadores rodoviários, mas como ainda não houve definição nas negociações, o novo cálculo não foi concluído.

O último reajuste feito na tarifa do transporte municipal foi aplicado no mês de abril de 2017, quando passou de R$ 2,90 para R$3,35. Na época, o Seturn chegou a propor o valor de R$ 3,50, mas teve a proposta rejeitada pelo Conselho Municipal de Transporte. A contrapartida da Prefeitura do Natal para o aumento foi a dotação e implantação de 100 novos abrigos para paradas de ônibus, GPS nos veículos e disponibilização online dos dados de bilhetagem.

De acordo com o consultor da Seturn, as empresas consomem cerca de 80 mil litros de óleo diesel por dia, o que corresponde a 30% do custo total de operação. Do valor da tarifa, 50% é destinado aos salários dos rodoviários e o restante se divide entre manutenção da frota, compra de peças e impostos. "Precisamos da mudança no valor da tarifa urgentemente", disse  Nilson Queiroga.

Na sexta-feira (4), o Sintro marcou a realização de duas assembleias, ás 9h e às 16h, para repassar à categoria o que foi discutido na primeira rodada de negociação.

Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário