domingo, 13 de maio de 2018

Prefeitura e permissionários debatem melhoria do transporte em Pipa

Chegar até Pipa pode ser uma tarefa complicada para quem não tem carro ou, no caso dos turistas, não contratou serviço de traslado a partir de Natal. Apesar de estar a meros 90 Km da capital, o segundo destino turístico mais procurado do estado é de difícil acesso para quem depende do transporte coletivo.


Além dos serviços particulares oferecidos pelas agências de viagem, só há duas formas de chegar até a vila: tomando uma das 32 vans que partem de Goianinha ou embarcando em um dos ônibus da empresa Riograndense, que opera a linha Natal/Pipa, via BR-101. Em ambos os casos, só é possível fazer o trajeto durante o dia, já que não há circulação noturna.

Os problemas no transporte público são muitos. No caso das vans, que comportam não mais que 16 pessoas sentadas, a principal queixa dos usuários é a precariedade dos carros e a superlotação. Já em relação aos ônibus, a reclamação geral é da baixa oferta de horários – são apenas dez nos dias de semana.

A Prefeitura de Tibau do Sul, responsável pela regulamentação do serviço oferecido pelas vans (a linha intermunicipal é de responsabilidade do Governo do Estado), reconhece que o sistema carece de melhorias. Há dois meses, a gestão convocou permissionários para estudar como aprimorar o transporte.

“Na oportunidade, discutimos a abertura de uma linha de financiamento para os permissionários renovarem a frota de vans. Estiveram presentes representantes do Banco do Brasil, da Caixa e do Bradesco. Os bancos se colocaram à disposição para oferecer o empréstimo, claro que com algumas exigências para garantir o pagamento”, afirma o secretário de Transporte e Serviços Urbanos, Wlademir Carlos da Silva.

O secretário conta que, atualmente, o principal entrave para que a operação de crédito se concretize é a criação de uma entidade para intermediar a liberação do dinheiro. “Eles [bancos] preferem que o financiamento seja por meio de uma cooperativa, e os permissionários hoje são organizados em uma associação”.

A série de exigências parece ter desanimado os donos de vans, que tentam por conta própria comprar novos carros – os atuais são usados há pelo menos dez anos. Presidente da Associação de Vans de Goianinha (que tem autorização para operar em Tibau do Sul), Sérgio Roberto diz que os permissionários estão atuando para melhorar o serviço.

“A população, na verdade, nunca estará satisfeita, mas estamos trabalhando para melhorar o serviço. Hoje oferecemos 32 vans, com carros saindo de 5 em 5 minutos de Goianinha até Pipa, via Tibau do Sul. O problema da superlotação é difícil de resolver, pois a demanda é muito alta. Se colocarmos os 32 carros um atrás do outro, ainda eles irão cheios”, diz Sérgio Roberto.

Enquanto articula o destravamento da operação de crédito entre bancos e permissionários, a Prefeitura de Tibau do Sul concedeu um prazo para que a Associação de Vans melhores as condições do serviço. “Demos seis meses para que eles melhorem itens dos carros como lanternagem e freio. A médio prazo, discutiremos o financiamento para carros novos”, registra o secretário.

Sobre a ausência de abrigos em paradas de ônibus, outra queixa da população e dos próprios permissionários, a gestão municipal diz estar preparando uma licitação para instalar os equipamentos no início de 2019.

Agora RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário