domingo, 20 de maio de 2018

Veículos elétricos: quais países (e governos) estão na frente?

Mila Guedes / Milalá / Mobilize Brasil
Projetos de expansão da indústria de veículos elétricos já anunciados pelas montadoras somam US$ 150 bilhões e devem gerar vendas de mais de 13 milhões de unidades por ano até 2025, uma taxa de crescimento anual composta de 35%. Estas são algumas das conclusões do estudo que o Conselho Internacional sobre Transporte Limpo divulgou nesta semana.  O trabalho analisa o mercado global de veículos elétricos e as políticas de apoio implementadas pelos governos para estimular esses investimentos.

Segundo o estudo, até o momento, 3/4 dos veículos elétricos vendidos foram fabricados na mesma região em que foram comercializados, mostrando a importância das políticas do lado da demanda, para reduzir as barreiras e aumentar o mercado, e os regulamentos e a política tributária para impulsionar simultaneamente os investimentos industriais. Atualmente os três principais mercados para veículos elétricos no mundo - China, Europa e EUA -- são também onde a maioria dos veículos elétricos é produzida.  E tomando como base os anúncios de projetos de fábricas de baterias, espera-se que a maioria das manufaturas globais de células de bateria estejam na China. 

“Quem quiser fazer o mercado avançar na mudança para carros elétricos deve buscar políticas que quebrem as barreiras dos consumidores e que também estimulem as grandes empresas a investir”, destaca Nic Lutsey, co-autor do estudo. “O mercado está avançando rapidamente e os governos líderes podem garantir que suas indústrias estejam à frente com políticas de longo prazo para veículos elétricos e baterias.”


O crescimento dos veículos elétricos indicam os esforços de adaptação às regulamentações de emissões de CO2 e para promover os investimentos necessários na indústria para permitir a transição para sistemas elétricos de mobilidade. Os EUA, sob o governo Trump, apontam uma tendência a enfraquecer sua regulamentação, embora o crescimento do mercado de veículos elétricos na Califórnia esteja aumentando. Enquanto isso, a União Europeia trabalha para regulamentar os níveis de emissões de CO2 de veículos automotores até 2030, e tem atuado simultaneamente para ampliar os investimentos no mercado de baterias, por meio da Battery Alliance da UE.

O vice-presidente da Comissão Europeia, Maroš Šefcovic, avalia que "as baterias estão no centro da revolução industrial e o desafio de criar uma indústria de produção de baterias competitiva e sustentável na Europa é imenso. Precisamos avançar rapidamente nesta corrida global. A Comissão Europeia apresentará uma Plano de Ação Estratégico para baterias que contribuirá para criar este ecossistema inovador, sustentável e competitivo para baterias na Europa. Estou convencido de que temos tudo para nos tornarmos líderes globais em inovação, descarbonização e digitalização", declarou o executivo da UE. 
*Autores: Nic Lutsey, Mikhail Grant, Sandra Wappelhorst, Huan Zhou 


Mobilize Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário