quarta-feira, 25 de julho de 2018

Biometria facial em ônibus do Distrito Federal bloqueia quase 14 mil cartões em 3 meses

O sistema de biometria facial nos ônibus do Distrito Federal já contribuíram para bloquear quase 14 mil cartões em apenas três meses. A tecnologia tem como objetivo identificar fraude em gratuidades no transporte público.

Foto: Divulgação

Ao todo, foram suspensos 13.929 cartões de passe livre nos últimos três meses, o que representa uma média de um a cada nove minutos. Apenas em julho, foram realizados 2.868 bloqueios.

Desde abril deste ano, a tecnologia funciona em todas as linhas urbanas da capital.

COMO FUNCIONA

A biometria facial foi implantada no sistema de transporte público a partir de maio de 2017. A tecnologia capta as imagens de quem passa pela catraca e um software compara com as fotos cadastradas no sistema.

Quando o programa identifica alguma diferença automaticamente, o próximo passo é uma análise virtual para conferir se é ou não uma fraude.

Caso seja identificada alguma irregularidade, o benefício é suspenso e um processo administrativo é aberto para que o passageiro apresente defesa. “Após esse bloqueio, se for estudante, o benefício só poderá ser pedido novamente no semestre letivo seguinte e, se for pessoa com deficiência, em 12 meses” – disse o diretor-geral do DFTrans, Marcos Tadeu de Andrade.

A biometria facial tornou-se obrigatória nos ônibus do Distrito Federal em maio.

Diário do Transporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário