quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Reino Unido quer criar lei para punir ciclistas perigosos

Foto: AFP/Folha
O governo do Reino Unido deve criar uma lei específica para punir ciclistas que circulam perigosamente pelas ruas do país.

A ideia é que os “ciclistas perigosos”, que muitas vezes chegam a colocar em risco a vida de pedestres com manobras arriscadas, sofram punições parecidas com as que já existem para motoristas imprudentes.


O Departamento dos Transportes diz que precisa defender os “usuários mais vulneráveis das ruas e avenidas do país” – ou seja, os pedestres.

Para isso, as autoridades decidiram lançar uma consulta pública de 12 semanas para discutir o tema.

Uma das ideias é criar uma pena de prisão para ciclistas que eventualmente matem alguém num acidente.

Três pessoas morreram em choques com ciclistas no país no ano passado.

Um caso em especial, que aconteceu em fevereiro de 2016, está sendo usado como exemplo no atual debate.

Kim Briggs, 44, mãe de duas crianças pequenas, foi derrubada em um choque violento com um ciclista entregador na zona leste de Londres e morreu no local.

O entregador, de 18 anos, andava em alta velocidade pelas ruas da cidade numa bicicleta que não tinha freios dianteiros.

Os promotores queriam usar o detalhe da ausência dos freios para pedir sua condenação por assassinato.

Mas como não existe nenhuma lei específica para acidentes envolvendo ciclistas e pedestres, os promotores tiveram que apelar para uma lei de 1861 que regulamenta o tráfego de cavalos e carroças no país –e que ainda continua em vigor.

O ciclista acabou sendo condenado a 18 meses de reclusão num instituto para jovens por “condução furiosa”, uma das infrações previstas na lei do século 19.

Desde então, muitos grupos se manifestaram sobre a necessidade de criação de uma lei com penas claras para ciclistas que corram muito, não mantenham suas bicicletas em ordem ou coloquem em risco outras pessoas nas ruas.

Mas os grupos de ciclistas reagiram à proposta do governo.

Eles também se acham desprotegidos e vulneráveis, já que muitos são atropelados por carros e caminhões — em 2016, ocorreram 102 mortes nessas circunstâncias no Reino Unido.

Os ciclistas tendem a ser bem articulados no país e o número deles nas ruas aumenta a cada dia.

É muito provável que a reação deles aumente muito a temperatura das discussões. Isso seria muito bom.

Especialmente se levasse o governo a rever praticamente todo o código de trânsito no país –com diminuição de velocidades máximas e aumentos de algumas penas, até para os ciclistas.

Essas medidas mais amplas poderiam aumentar a segurança de todos nas ruas, inclusive dos próprios motoristas.

Américo Martins - Jornalista escreve sobre a vida em Londres, onde mora pela terceira vez --num total de 15 anos.
Folha de SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário