domingo, 30 de setembro de 2018

65% dos brasileiros declaram beber quando dirigem aponta estudo

Ilustração/UNIBUS RN
Imagine só: você terminou o expediente em um happy hour com os colegas do escritório. Como foi de carro, não pretendia beber, mas em certo ponto da noite todos se juntam para fazer um brinde de comemoração a uma meta batida. Nessa situação você brinda com uma bebida sem álcool, ou comemora com todos, afinal, "só um copo não faz mal"?

Se você respondeu a primeira opção, você está coberto de razão, mas infelizmente é minoria. Uma pesquisa divulgada pela Heineken mostrou que, globalmente, 68% dos adultos declaram beber quando dirigem. O estudo é parte da iniciativa "When You Drive, Never Drink" ("Quando dirigir, nunca beba"), que há três anos se dedica a mudar positivamente o comportamento cultural de seus consumidores.

Realizado em dez países (Brasil, China, Estados Unidos, Reino Unido, Itália, Índia, África do Sul, Vietnã, Holanda e México), o estudo analisou condutores de ambos os sexos com idades entre 25 e 54 anos. Mesmo com uma proibição legal do consumo de qualquer quantidade de álcool antes de dirigir, o estudo mostrou que o Brasil tem um índice similar ao global de motoristas que consomem bebidas alcoólicas e pegam no volante. Dois em três motoristas (65%) brasileiros afirmaram já ter passado por essa situação.

Por aqui, a pressão social é um dos maiores fatores para incentivar esse comportamento. Cerca de 30% dos entrevistados concordou que no Brasil é aceitável beber antes de dirigir. A pesquisa mostrou também que 87% das pessoas se planejam para não beber quando irão dirigir, mas acabam cedendo à pressão dos amigos, problema conhecido pelo termo "Peer Pressure" ("pressão dos amigos", em tradução livre). Na média mundial, a taxa é menor: 79%.

"Acreditamos que o estudo pode causar uma reflexão e incentivar uma mudança cultural, formando assim uma atitude positiva e de consumo responsável de álcool", comenta Vanessa Brandão, diretora da marca Heineken. "Queremos inspirar as pessoas a tomar a decisão certa e transformar a pressão dos amigos em suporte a fim de ratificar que uma cerveja faz a diferença quando se está ao volante", conclui.

Risco a cada gota

Além da pressão dos amigos, 49% afirmaram ter seu próprio limite de tolerância ao dirigir alcoolizado. No entanto, pesquisadores americanos já provaram que o risco existe mesmo quando o condutor pensa estar sob controle. Após análise de mais de 570 mil acidentes entre 1994 e 2011, foi verificado que motoristas com 0.01% mg/l de álcool por litro de sangue (quantidade similar a de um copo de cerveja) são 46% mais passíveis de causarem um acidente do que um que esteja completamente sóbrio.

Com o intuito de reforçar as mensagens de que bebida e direção nunca devem se misturar, a Heineken iniciou em agosto a veiculação no Brasil, em TV aberta, TV a cabo, além de conteúdos para plataformas digitais, a campanha "No Compromise" ("Sem concessões"), estrelada pelo ex-piloto e campeão mundial de Formula 1, Nico Rosberg.

Na propaganda o ex-piloto alemão – único a desbancar Lewis Hamilton desde 2014 e vencer a temporada em 2016 – mostra a importância de cada detalhe na hora de dirigir. Cada milímetro importa, assim como uma única cerveja é muito quando se está dirigindo. E é por esse motivo que Nico Rosberg não cede à pressão dos amigos e recusa a cerveja.

"As nossas peças trazem à tona uma discussão muito importante, especialmente em um país com tolerância zero de álcool ao volante, como é o caso do Brasil, ressaltando que uma cerveja é muito para quem vai dirigir. Acreditamos que ela incentiva uma atitude positiva e de consumo responsável de álcool", conclui Brandão.

UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário