quarta-feira, 26 de setembro de 2018

75 anos de motores a gás da MAN

Apesar de ser um combustível de origem fóssil, o gás natural pode ser uma alternativa quando se pensa em redução das emissões poluentes dos motores de combustão interna. Em termos de poluição local, o óxido de nitrogênio e o material particulado podem ser mitigados com o uso de propulsores movidos com a gás natural em relação ao diesel convencional. Pelo mundo, muitas frotas de ônibus urbanos utilizam há um bom tempo esse tipo de tração, alcançando um apelo ambiental nos sistemas de transporte coletivo.



A montadora MAN Truck & Bus conhece bem esse mercado. Há 75 anos ela  iniciou sua trajetória com o combustível por meio do primeiro ônibus que rodou na cidade alemã de Nuremberg, isso em 1943, com uma configuração bem inusitada, pois o veículo tracionava um reboque, ambos dotados de tanques instalados no teto com capacidade para 22 metros cúbicos de gás, o suficiente para uma autonomia bem longa para suas operações. Como já tinha experiência na construção de ônibus com dois pavimentos, a fabricante alemã não encontrou dificuldade em estabelecer esse novo padrão veicular.


Sete décadas e meia depois, muita coisa se passou e diversos tipos de motores foram projetados objetivando a diminuição dos poluentes emitidos. Exemplo disso é o novo propulsor MAN E1856 LOH que a montadora apresenta na maior feira mundial de veículos comerciais, a IAA 2018. Ele possui 9,5 litros, seis cilindros, potências que variam de 280 cv e 320 cv, sistema de regulação de queima Lambda e catalisador de três vias.

A MAN equipou o seu modelo de ônibus urbano Lion`s City G, com 18 metros de comprimento, com a novidade e o apresentou na feira de Hanover. O veículo pode possuir tanques com capacidade para 1.260 litros e 1.875 litros, volumes bem diferentes daquele longínquo ano de 1943, quando a capacidade e exigência operacional eram bem maiores.

Revista Autobus
Imagens - Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário