quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Busca pela primeira CNH tem alta com avanço de aplicativos de transporte

O número de pessoas que tiraram a primeira carteira de habilitação aumentou neste ano tanto na cidade como no estado de São Paulo. Para especialistas, a alta se deve à procura por emprego, principalmente em aplicativos de transporte.

Dados obtidos via Lei de Acesso à Informação junto ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito) de São Paulo mostram que a emissão subiu 13% na capital entre janeiro e agosto deste ano, em comparação com igual período de 2017. As primeiras carteiras passaram de 78.852 no ano passado para 89.725 em 2018.

No âmbito estadual, o acréscimo foi de 11% no período.

O cenário agora indica uma reversão da queda na emissão do documento que vinha acontecendo desde 2015.

Os emplacamentos de carros e motos também cresceram no mesmo período deste ano, no município e no estado, segundo o Detran. Os de moto cresceram 24% capital e 19% no estado 19%, e os de carro, 12% tanto na capital como no estado.

"Houve expansão muito grande dos aplicativos de transporte e entrega nos últimos meses. Juntando com mais veículos emplacados, ajuda a compreender o aumento da emissão das carteiras", afirma Sergio Ejzenberg, consultor de mobilidade urbana.

A avaliação é compartilhada por Creso Peixoto, professor de engenharia civil do Centro Universitário FEI.

"É provável que a procura por esse tipo de ocupação impulsionou as novas carteiras", afirma. "Se tem mais veículos emplacados no mesmo período, isso puxa o acréscimo das CNHs. É uma alternativa ao desemprego", acrescenta o consultor Horácio Figueira.

O Detran disse que não realizou estudo para explicar o crescimento das emissões.

Sem emprego, Arthur Lopes, 20, estudante de geografia, tirou a sua primeira CNH em agosto para facilitar a busca por uma ocupação. "Apesar do custo para a emissão, achei que valia a pena", diz.

Folha de SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário