Header Ads

Uber incorpora apoio de políticos para derrubar PL sobre aplicativos de transporte

Divulgação
Após ser adiada para esta terça-feira, dia 31 de outubro, a votação do projeto de lei no Senado que deixa mais rígidas as regras para serviços de aplicativos de transporte individual, aumentou a batalha pela opinião pública entre taxistas e as empresas como Uber, Cabify e 99.

Enquanto taxistas se utilizaram das tradicionais carreatas na semana passada, os usuários e motoristas dos serviços de aplicativos inundaram as páginas de senadores no Facebook com comentários contrários à proposta.

Neste fim de semana o aplicativo Uber enviou um e-mail com o título “Diga não à lei do retrocesso”. No e-mail estão os cinco pontos que transformaram o PLC 28/2017 numa proibição aos aplicativos, ao contrário de uma “regulamentação dos serviços”.

Desta vez, o Uber incorpora à campanha o apoio de três políticos, que cita abertamente no email: os senadores Airton Sandoval – PMDB, José Serra – PSDB e Marta Suplicy – PMDB, e estimula os internautas a ingressarem em suas páginas para assinarem o manifesto e dizerem “Não ao PLC 28/ 2017”.

Leia abaixo o manifesto na íntegra:


Diga não à lei do retrocesso

Na terça-feira, 31/10, o Senado Federal vai votar o PLC 28/2017, que acaba com os aplicativos de mobilidade como o Uber.

Alguns senadores dizem que esse projeto é uma regulação. Mas, na verdade, esse projeto é uma proibição. Veja só:
  1. Exige que os veículos tenham placas vermelhas iguais às dos táxis
  2. Autoriza os municípios a proibirem os apps quando quiserem
  3. Faz com que os motoristas parceiros precisem de uma autorização específica, que pode ou não ser concedida
  4. Todos os motoristas precisam ter veículos próprios – não se pode dividir com seus familiares ou alugar carros
  5. Proíbe os veículos de circularem em cidades vizinhas, como em regiões metropolitanas
Alguns senadores estão fazendo isso sem pensar em como essa lei do retrocesso vai prejudicar a vida de cada uma das 17 milhões de pessoas que, como você, usam o aplicativo da Uber. Também não estão considerando o impacto sobre a vida dos nossos mais de 500 mil motoristas parceiros que dependem dessa renda para viver.

Somos a favor da regulamentação. Mas não de proibições. Junte-se a nós e diga não à lei do retrocesso. Diga não ao PLC 28/2017 nas redes sociais.

A hora é agora: você que é de São Paulo, entre na página do Facebook dos Senadores Airton Sandoval – PMDB, José Serra – PSDB e Marta Suplicy – PMDB e diga Não ao PLC 28/ 2017.

Veja a estreia da campanha hoje, às 20h30, no intervalo do Jornal Nacional ou em www.leidoretrocesso.com.

Seguimos #juntospelamobilidade, contra a #leidoretrocesso

Diário do Transporte

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.