Header Ads

HyperloopTT desiste de montar centro de pesquisas no Brasil

A HyperloopTT, empresa norte-americana de transporte e tecnologia, desistiu de montar um centro de pesquisas no Brasil. O projeto estava previsto para começar em 2018 em Contagem, Minas Gerais, mas não foi realizado por falta de verba.

HyperloopTT é uma empresa norte-americana de transporte e tecnologia. Foto: Divulgação

De acordo com informações do portal O Tempo, a Prefeitura desistiu do projeto por falta de liberação de uma verba de R$ 13 milhões do Governo do Estado.

“Fizemos um esforço, a empresa reconheceu isso, tentamos interlocução com o governo anterior e com o atual, mas, infelizmente, a situação econômica do Estado não permitiu. Recebi a notícia também com a compreensão da dificuldade que o Estado atravessa, mas é uma pena para Minas e para Contagem”, disse o prefeito Alex de Freitas.

Em comunicado à imprensa, a empresa informou na época que o projeto em sua primeira fase contaria com um investimento de US$ 7,85 milhões, resultante de uma PPP – parceria público-privada.

A HyperloopTT teria ainda o apoio, além do governo de Minas Gerais, das seguintes instituições: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Federação das Indústrias do Estados de Minas (Fiemg) e prefeitura de Contagem.

Na ocasião, o presidente da empresa, Bibop Gresta, o governador de Minas Gerais e membros do Executivo se reuniram para assinatura dos papéis que garantiriam a execução do projeto. A Prefeitura de Contagem havia cedido um terreno de 22 mil metros quadrados para a construção do centro de pesquisas.

Conforme noticiado pelo Diário do Transporte, o governador do Estado, de Minas Gerais, Fernando Pimentel, assinou um despacho que prioriza um investimento de R$ 13 milhões para apoiar o Centro de Inovação.

Confira abaixo a nota da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais sobre o tema, enviada ao portal O Tempo:

“Os diálogos para atração da empresa Hyperloop Transportation Technologies para Minas Gerais iniciaram-se em 2018 por esforços empreendidos pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG). A necessidade apresentada pela empresa seria de um apoio de R$13 milhões, valor que representaria metade do custo total de instalação do centro de P&D. Diante da característica do projeto com foco em pesquisa, e das possibilidades de financiamento que o Estado dispunha, entendeu-se como mais oportuno que o recurso fosse obtido junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), entidade da administração indireta do Estado.

A Fapemig, por sua vez, informou sobre a necessidade de que, assim como qualquer projeto apoiado pela Fundação, fosse apresentado projeto e respectivo plano de trabalho para análise. Apesar da cobrança ter sido em maio, apenas em 16 de agosto de 2018 o projeto foi apresentado. A análise dos documentos realizada por consultores técnico-científicos e pela Procuradoria do Estado apontou a necessidade de ajustes, os quais foram solicitados pela FAPEMIG à Hyperloop. Porém, sem nenhum retorno desde então. Vale ressaltar que a Hyperloop não apresentou contrapartida consistente para o projeto de investimento no Estado.

A partir desse retorno, a Hyperloop buscou discutir alternativas de investimento no Estado em outras entidades de fomento que não a Fapemig.

A Codemig manifestou interesse em conhecer o projeto em mais detalhes, de forma a avaliar a viabilidade de realizar o investimento de forma direta. Em primeiro momento foi analisada a possibilidade de investimento, porém o mesmo foi reprovado por decisão do Conselho de Supervisão dos Fundos (Aerotec e Codepar).

O Estado se preocupa com permanência da Hyperloop em Contagem e está aberto para discutir novas alternativas de investimento. Porém, é importante destacar a crise econômica e fiscal que Minas Gerais enfrenta, sendo necessário readequar o valor solicitado de investimento pela empresa”.

Diário do Transporte

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.