Header Ads

As infrações de trânsito mais cometidas pelos motoristas brasileiros

Ninguém gosta de ser multado, não é? Mas apesar disso, as multas são uma punição justa à quem infringe as leis de trânsito, colocando a sua vida e a de outras pessoas em risco. Para se ter uma ideia, no ano de 2018, somente em Belo Horizonte, 629.622 multas de trânsito foram aplicadas, gerando uma arrecadação de R$ 118.973.322 milhões. No ano 2017, contando todo o estado de Minas Gerais, foram mais de 5 milhões de automóveis multados. No mesmo ano, no Brasil, mais de R$ 9 bilhões, foram arrecadados com multas após infrações.

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Por isso, nós do Mais Minas resolvemos pesquisar quais são as infrações mais cometidas pelos motoristas, para que você, condutor, fique mais atento e não vacile no dia a dia. Afinal, trânsito não é brincadeira e qualquer deslize pode ter um final nada feliz.

As infrações mais cometidas

Separamos as dez infrações mais cometidas, segundo um registro nacional feito pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Algumas são extremamente irresponsáveis, já outras mostram falta de atenção. O que é unanimidade é que todas elas podem ser evitadas, deixando de causar transtornos e consequências mais graves.

Excesso de velocidade (20%)

Entre as infrações mais cometidas por condutores no país, o excesso de velocidade lidera com larga vantagem. E esse é um dado preocupante pois dirigir acima do limite de velocidade é uma das práticas mais perigosas que se pode adotar no trânsito. Afinal, há um porque desses limites serem definidos pelas autoridades.

Nos oito primeiros meses de 2018, das 35 milhões de multas aplicadas, 19.870.175 foram por transitar em velocidade 20% superior a máxima permitida, segundos dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Isso significa mais de 56% do total de autuações.

Transitar acima até 20% acima do limite de velocidade é infração média. São anotados 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação e a multa é de R$ 130,16.

Excesso de velocidade (20% a 50%)

Em segundo lugar nas autuações, segue o excesso de velocidade. Desta vez, ainda mais perigoso, com trânsito em velocidade entre 20% e 50% superior ao máximo permitido. No período divulgado pelo Denatran, foram 3.261.459 multas aplicadas para este tipo de infração. Sendo assim, podemos perceber que dois terços de todas as multas aplicadas vem do excesso de velocidade.

Transitar acima do limite de velocidade é perigoso por diversos fatores. Nessas condições, a distância de frenagem se torna maior. Aliado com um tempo de percepção e reação mais curto do condutor, fatores causados pela alta velocidade, se torna muito difícil um movimento reativo em caso de obstáculo ou situação inesperada.

Transitar acima entre 20% e 50% acima do limite de velocidade é infração grave. São 5 pontos na CNH e a multa é de R$ 195,23.

Trânsito em local ou horário não permitido

Uma infração recorrente também é o trânsito em locais ou horários não permitidos. Apesar de ser algo bem simples, mais de 2 milhões de condutores foram autuados nos primeiros oito meses de 2008 por este tipo de conduta. Um exemplo desta prática é não respeitar, por exemplo, o horário dos estacionamentos rotativos.

A multa é de R$ 130,16, sendo uma infração média.

Não respeitar semáforos ou paradas obrigatórias

Outra multa recorrente na conta dos apressadinhos. Ultrapassar semáforos fechados (vermelhos) ou paradas obrigatórias também rendeu mais de 2 milhões de multas no período. Esta é uma infração gravíssima e pode ocasionar sérios acidentes.

A infração é gravíssima, com multa de R$ 293,47 e 7 pontos na carteira.

Não utilização do cinto de segurança

Em seguida, na lista de infrações mais cometidas, está a falta do uso de cinto de segurança. Mesmo sendo um dos equipamentos de segurança mais importantes dos automóveis, muita gente ainda insiste em não utilizar o cinto. Segundo o Denatran, no período analisado, foram nada menos que 1,5 milhão de autuações do tipo.

A infração é considerada grave e a multa, de R$ 195,23.

Estacionar em local proibido ou em desacordo com a regulamentação

Problemas com estacionamento também ficam entre os mais recorrentes no país. Foram mais de 2 milhões de autuações em oito meses de 2018, se contar as duas formas de infração. A primeira delas rendeu quase 1 milhão de atuações. É comum ver veículos estacionados em lugares proibidos pela sinalização. A infração média, com 4 pontos na carteira e multa de R$ 130,16.

A segunda delas, ainda mais frequente, com quase 1,3 milhão de autuações, consiste no estacionamento em vagas exclusivas. Locais destinados à idosos, deficientes e pontos de táxi são exemplos. A multa é de R$ 88,38 mais 3 pontos na CNH, sendo esta uma infração leve.

Por isso é de extrema importância se preocupar com a forma de estacionar. Não só pelas multas, mas também pelas frequentes colisões em balizas. Com espaços de estacionamento cada vez menores e um dia a dia mais corrido, esbarrões em outros veículos, avanços sobre meio-fios, batidas em placas, se tornam comuns nas cidades.

Sendo assim, é imprescindível a utilização de equipamentos que aumentem a segurança e a precisão nestas situações. E um dos queridinhos dos motoristas mais cuidadosos é o sensor de estacionamento. De baixo custo e muito eficiente, o sensor funciona através da tecnologia de ultrassom e indica por um display a distância do automóvel com o obstáculo mais próximo, emitindo alertas sonos mais frequentes de acordo com a proximidade. Esse e outros equipamentos podem ser encontrados aqui em Peçasauto24.pt.

Falta de registro

Essa vai para a conta dos desatentos. Não registrar o veículo em até 30 dias após sua transferência rendeu nada menos que 1.211.722 multas no período analisado. A infração é classificada como grave.

Transitar em faixa ou corredor de ônibus

Mais uma infração facilmente evitável. Transitar em faixas ou corredores exclusivos para ônibus é falta gravíssima e rendeu quase 1 milhão de multas nos dois primeiros quadrimestres de 2018. Esta é considerada falta gravíssima.

Não acender os faróis baixos em túneis

A exemplo das duas infrações anteriores, esta é mais uma que um pouco de atenção ou informação resolve. Em túneis é obrigatório o uso do farol baixo, como medida de segurança. Não ligou? Infração média, sofrida por quase 925 mil motoristas.

Esperamos que agora, sabendo as multas mais comuns, você condutor, fique mais atento e evite transtornos para você e para quem está ao redor. E lembre-se, se beber, nunca dirija.

*Com informações do Denatran e do Jornal do Carro

Mais Minas

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.