Header Ads

Cai número de multas de trânsito aplicadas em Natal

Os agentes de trânsito da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) foram responsáveis por 72% das multas aplicadas aos motoristas em Natal nos sete primeiros meses de 2019. Foram 58.610 ocorrências tabuladas pelos “amarelinhos” neste ano. Ao todo, foram registradas 80.934 multas, entre as aplicadas pelos fiscais e pelos equipamentos eletrônicos. O número de infrações, contudo, é menor em relação ao mesmo período do ano passado: 127.322 sanções, com redução de 36%.

Foto: Adriano Abreu (Tribuna do Norte)
Embora sejam responsáveis pela maior quantidade de ocorrências, os fiscais da STTU apresentam uma queda com relação ao mesmo período de 2018, quando registraram 78.182 transgressões no trânsito. Eles encerraram o ano com 126.316 multas. O total de punições no ano passado, juntando irregularidades notificadas pelos agentes e pelos equipamentos eletrônicos foi de 212.925.

“A fiscalização é constante. Temos escala de serviço, são quatro turnos, três efetivos na rua e o corujão [para atender acidentes] com colisões na madrugada. O número de agentes não foi aumentado, não tivemos concurso. Mas existe a orientação do departamento de que os agentes fiquem em pontos específicos de maior fluidez de trânsito para que realmente coíba as infrações de trânsito. Aqui a gente é responsável não só pelo trânsito, mas também pelo transporte”, explica Guilherme Freitas, diretor de departamento de fiscalização e vistoria da secretaria.

Entre as maiores violações cometidas pelos condutores natalenses em 2019 estão a de alta velocidade acima de 20% do permitido; estacionamento irregular; retorno em locais proibidos; estacionamento em locais/horários proibidos com placa de sinalização; avanço do sinal vermelho; estacionar no passeio; transitar pela contramão de direção em vias de sentido único, entre outras.

Atualmente, a STTU possui um contingente de 275 agentes, entre profissionais que ficam na rua, monitoramento de imagens e atendimento a pedestres e condutores em situações de colisões e questões ligadas ao transporte público da capital.

Segundo Guilherme, as principais avenidas da capital são onde ocorrem as maiores incidências de multas, como a Senador Salgado Filho, Prudente de Morais, Hermes da Fonseca, entre outras. Questionado sobre as ruas perpendiculares e paralelas a essas, como Romualdo Galvão, Alexandrino de Alencar, entre outras, ele explica que as viaturas circulam em todos os pontos da capital.

“A fiscalização aqui é corriqueira. Até porque temos agentes em viatura, não só em pontos fixos. Temos 66 motociclistas, temos 10 ciclistas e as viaturas. Ela é rotineira. Não tem um ponto específico. Vamos atendendo as demandas que vão sendo atendidas aqui no 156”, acrescenta.

De acordo com Daniel Albuquerque, inspetor chefe, uma das desobediências recorrentes nos últimos anos e alvo de reclamações dos natalenses era quanto a faixa exclusiva dos ônibus. Segundo dados da STTU, nos sete primeiros meses do ano passado foram registradas 5.600 ocorrências, sendo 8.603 no ano todo. De janeiro a julho deste ano, a redução caiu mais da metade: 2.406 registros.

“A faixa exclusiva para ônibus foi algo que a gente mais intensificou. Qual é a política da secretaria: dar mobilidade maior ao transporte de massa, que é o ônibus. A gente notou que aquela faixa estava sendo muito ocupada não para o que ela era destinada. Estamos fazendo com que o pessoal respeite o transporte público”, explica Daniel Albuquerque, inspetor chefe, acrescentando ainda que os condutores podem fazer uso dela apenas quando vai fazer a primeira conversão.

Radares: Os equipamentos eletrônicos apresentaram redução nas multas aplicadas pela STTU, que conta com radares, fotosensores (instalados nos semáforos) e lombadas eletrônicas em três trechos da capital: Prudente de Morais, Hermes da Fonseca e avenida Itapetinga, na zona Norte.

Os números mostram que, até julho deste ano, os radares registraram 14.881 infrações, contra 38.074 no mesmo período do ano passado. Diminuição é de 60%. O quantitativo geral de 2018 foi de 65.525 para este equipamento.

Os fotosensores, instalados nos semáforos da capital, também registraram diminuição das multas. Em 2019, foram 7.443 infrações, contra 11.066 no mesmo período do ano passado. Queda de 32%. O ano de 2018 fechou com 21.084 ocorrências para este dispositivo.

“Ele tem consciência que ali tem um equipamento de fiscalização e vai decaindo o número. Diminuiu 21 mil multas só de equipamentos eletrônicos, porque o pessoal vai se conscientizando”, conclui Guilherme Freitas.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.