Header Ads

Para sobreviver, transporte público precisa de subsídios, diz presidente da Fetronor

O empresário Eudo Laranjeiras, atual presidente da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste (Fetronor), afirmou que o Governo do Estado e a Prefeitura do Natal não estão demonstrando interesse na melhoria do sistema público de transporte potiguar. Ele cobrou medidas como a inclusão de subsídios às empresas e de isenção tributária para a sobrevivência do setor.


Segundo Eudo, 70% da população potiguar utilizar o transporte público no Rio Grande do Norte. No entanto, este serviço, identificado por ele como essencial, não é devidamente prestigiado pelo poder público – seja municipal ou estadual.

“Quando se fala em subsídios, muito se fala que essa discussão só acontece aqui, mas não é isso. O mundo inteiro oferece subsídios. É preciso mudar o atual sistema de remuneração do setor, que hoje está fundamentado apenas no público, que é quem banca a passagem e remunera as empresas”, declarou durante entrevista ao programa “Tudo Agora”, da rádio Agora 97,9 FM.

Laranjeiras criticou a falta de diálogo entre as empresas de transporte e os representantes governamentais. “O atual sistema de transporte público é muito bom para o governo, somos nós os pagadores de impostos. Aí, quando há algum problema do setor, a culpa é sempre das empresas. Em outros países, o transporte público é visto como um serviço essencial, como é o caso do fornecimento de energia elétrica”, prosseguiu.

Para melhorar a situação das empresas que atuam no sistema de transporte público, Eudo Laranjeiras sugeriu que os governantes adotem medidas para subsidiar o setor. Além disso, de forma mais urgente, disse que o serviço necessita de desoneração de impostos. Ele apontou que o sistema de transporte poderia ter uma isenção semelhante ao que acontece com os produtos que formam a cesta básica.

“Primeiro, é preciso reduzir impostos, como é o que ocorre com os produtos que formam a cesta básica. Isso reduziria em 30% o preço da tarifa”, detalhou.

Outro problema diagnosticado pela Fetronor é a qualidade das estradas potiguares. Segundo o presidente da entidade, mais de 70% das rodovias federais no Rio Grande do Norte estão em condições ruins de piso e de sinalização.

Ele também cobrou maior empenho da Prefeitura do Natal para concluir a licitação dos transportes públicos – pendência que se arrasta há dois anos. “O transporte público não tem sido uma prioridade da Prefeitura do Natal. Muito se fala sobre a licitação do setor, mas por que ela não dá certo? É porque quando você tem um produto para vender, você qualifica o produto e o melhora para poder vender. Só que isso não acontece por parte do poder público. Temos que priorizar o transporte”, justificou.

Em Natal, apesar de as vias terem melhores condições que as rodovias federais e estaduais, a malha viária padece com outro mal: as lombadas. “Nunca vi uma cidade ter tantas lombadas como Natal. Quando você coloca um ônibus para disputar espaço com um carro, o transporte público sempre sai perdendo”, concluiu.

Fonte: Agora RN

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.