Header Ads

Caio cresce 62% e alcança 60% do mercado de urbanos

A fabricante de ônibus Caio divulgou nesta sexta-feira, 31 de janeiro de 2020, balanço relativo ao desempenho do ano passado. De acordo com a fabricante que tem sede em Botucatu, no interior paulista, houve crescimento em 2019 de 45% da produção, considerando os mercados interno e externo.


Já levando em conta apenas o mercado nacional, o crescimento, ainda de acordo com a Caio, foi de 62% na comparação com os números de 2018.

De acordo com o mais recente levantamento oficial da Fabus, associação que representa os fabricantes de carrocerias de ônibus no Brasil, entre janeiro e novembro 2019, a marca paulista produziu 7175 unidades.

Em nota, o diretor comercial do Caio, Paulo Ruas, disse que para 2020 é esperada manutenção no ritmo de produção, apesar de uma possível queda no segundo semestre por causa das eleições municipais.

Habitualmente, as disputas para prefeitos aquecem mercado no primeiro semestre por causa das renovações exigidas pelo poder público, cuja imagem é beneficiada com os investimentos dos empresários. Entretanto, as exportações devem compensar esta oscilação.

“As expectativas para 2020 são positivas, com a esperança de manter a produção no mesmo ritmo de 2019. Para o segundo semestre, é esperada uma oscilação de vendas para o mercado interno devido às eleições municipais. Já para o mercado externo, temos boas perspectivas” – disse na nota.

A Caio também informou que ampliou sua participação no mercado. Em 2018, a fatia no segmento de urbanos era de 51%. Já em 2019, subiu para 62%, segundo o comunicado.

O modelo mais vendido da marca é o Apache Vip IV, voltado para chassis do motor dianteiro, o tipo mais procurado pelos frotistas de ônibus no Brasil, devido aos custos menores de aquisição e manutenção e às condições topográficas de grande parte das cidades.

Mas outros modelos, como o Caio Millennium IV e os da linha BRT também tiveram destaque.

Entre os motivos apontados pela fabricante para o crescimento estão renovações e ampliações de frota de ônibus urbanos, impulsionadas por licitações e aumento da confiança dos investidores na economia.

Apesar do modelo Caio Solar para fretamento e linhas rodoviárias de média e curta distâncias e do micro-ônibus  F2400, que também pode ter a versão executiva para fretamento, o forte do Caio é o mercado de ônibus urbanos.

O grupo detém também a Busscar, empresa que desde a gestão atual, se dedica exclusivamente a ônibus rodoviários.

A Caio atualmente tem capacidade para produzir 50 carrocerias por dia somando as plantas de Botucatu e Barra Bonita, também no interior de São Paulo.

Apenas a planta de Botucatu conta com 3200 funcionários.

Na nota, a empresa ainda diz que realiza pesquisas para modernização constante dos modelos.

Está no DNA da marca inovar, antecipar tendências e necessidades do segmento e de seus clientes. A liderança da Caio está fortemente ligada a estes fatores, aliados à confiabilidade conquistada durante as mais de sete décadas de atividades e a constante busca por evolução em produtos e processos, com sua tradicional excelência em qualidade. Para isso, são realizadas pesquisas para estudar novas tecnologias e apontar melhorias, como também investimentos em estudos de novos materiais aplicados às carrocerias, que passam por constantes testes de resistência.

A Caio faz parte de um Grupo formado por empresas voltadas a oferecer ao mercado soluções inovadoras em mobilidade, com eficiência operacional, tecnologia, conforto e segurança. Trilhando um caminho de evolução em seus produtos e processos, nas primeiras semanas de 2020, o Grupo Caio apresentou ao mercado a atualização de seu logotipo e identidade visual. É um marco que tem como objetivo demonstrar visualmente a evolução e modernização do Grupo.

Diário do Transporte

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.